A invasão das mulheres no Altar

by - maio 27, 2019




O Santo Magistério diz (basta clicar nos links no texto e verá o documento original):

A Canon 44 do Sínodo de Laodicéia realizada no quarto século diz claramente: “As mulheres não podem ir ao altar.”

Em 1755, o Papa Bento XIV falou claramente, em sua carta encíclica “Allatae Sunt”, no ponto 29, que: “O papa Gelásio, em sua nona carta (capítulo 26), aos bispos de Lucânia condenou a prática maligna que havia sido introduzida das mulheres que servem o sacerdote na celebração da missa. Como este abuso se espalhou para os gregos, Inocêncio IV proibiu-o estritamente em Sua carta ao bispo de Tusculum: “As mulheres não devem ousar servir no altar; a elas devem ser completamente recusados este ministério.”

Reiterando o já dito no Etsi Pastoralis 6, n. 21, tomo 1 do nosso Bollario.

Código de Direito Canônico de 1917 diz: “Que o ministro servindo na missa não seja uma mulher, a não ser que, faltando um homem, por razão justa, e precavendo para que a mulher responda de uma certa distância e de modo algum suba no altar. [Minister Missae inserviens ne sit mulier, nisi, deficiente viro, iusta de causa, eaque lege ut mulier ex longinquo respondeat nec ullo pacto ad altare accedat]” (Canon 813, §2).


Papa Paulo VI em 1970, escreveu em sua carta de instrução Liturgicae instaurationes: "Em conformidade com as normas tradicionais da Igreja, as mulheres (solteiras, casadas e religiosas), seja em igrejas, conventos, casas, escolas ou instituições para mulheres, são impedidas de servir o sacerdote no altar."

Por algum motivo o texto acima de 1970 não foi encontrado no site do Vaticano, no entanto, tal decreto existe e foi usado como referência no decreto sobre as Normas Litúrgicas promulgado para conter os abusos que preocupavam o Papa São João Paulo II, como pode ser visto na referência 11 do texto Observância das normas litúrgicas e “ars celebrandi”, que também vale a leitura. 



Tal documento também não se encontra mais no site do Vaticano, no entanto, é citado nas referências do Instrução acerca de algumas questões sobre a colaboração dos fiéis leigos no Sagrado Ministério dos Sacerdotes, que também vale a leitura, sobre as mulheres está exposto na Premissa nos parágrafos terceiro e oitavo, sendo o último a exposição do que de fato podemos fazer para aliviar o peso sacerdotal: "existe um campo especial, o que diz respeito ao sagrado ministério do clero, em cujo exercício podem ser chamados a colaborar os fiéis leigos, homens e mulheres, e, naturalmente, também os membros não-ordenados dos Institutos de vida consagrada e das Sociedades de vida apostólica. A este campo particular refere-se o Concílio Ecumênico Vaticano II, quando ensina: « Finalmente, a Hierarquia confia aos leigos certas funções que estão mais intimamente relacionadas com os deveres dos Pastores como, por exemplo, a exposição da doutrina cristã, alguns atos litúrgicos, a cura de almas »."

Quanto ao citado "alguns atos litúrgicos" é justamente o orientado pelo Papa São João Paulo II na Inaestimabile donum .


Quais os motivos que levaram a facilitar que as funções do altar fossem desempenhadas por mulheres:

1) O feminismo

Depois da revolução sexual houve uma constante pressão para que as mulheres assumissem cargos, inclusive na Igreja, de modo que hoje, a Igreja que é ainda chamada de "patriarcal", tem mulheres fazendo absolutamente tudo e até demais, enquanto os homens estão reduzidos ao chamado terço dos homens. Isso é um sinal claro do adoecimento da complementariedade entre homem e mulher.

2) Mulheres sacerdotisas e diaconisas

Ora, não é difícil notar que uma das maiores pressões que a Igreja sofre é a de dar o sacramento da ordem também às mulheres. Assim, uma vez que o povo já está tão habituado a vê-las fazendo tudo, caso um dia essa idéia seja proposta a maior parte do povo achará bom, afinal, "ela é tão boazinha", "ela faz tudo tão bem feitinho", "ela fala tão bem".

Colocar as mulheres no altar é dessensibilizar o povo e gradualmente fazer com que um dos pilares da Igreja seja ainda mais questionado.

Nós mulheres somos responsáveis por gerar homens que serão padres, coroinhas, ministros - corporal ou espiritualmente - não é a nossa missão tomar o lugar deles e depois ainda reclamarmos que não existe homem decente e viril na Igreja.

Todo caminho de desordem não vem de Deus.

A ordenação de mulheres é uma porta fechada, como diz o Papa Francisco, mas as janelas para o desequilíbrio foram abertas, cabe a nós mulheres tomarmos de fato o nosso papel e fecharmos as janelas da desordem, pois enquanto as mulheres buscam ser ministras de tudo os seminários estão vazios e os homens deslocados na Igreja. 

As funções que nos foi legada é a maternidade: como catequistas, professoras, conselheiras, formadoras, cuidadoras da Igreja e para algumas a honra de cuidar das vestes sacerdotais usadas no rito, ou seja, as vestes de Cristo. 

Como podes dizer que isso é pouco?

Busque ser mulher e deixe os homens serem homens, eles não são palermas, a realidade é que não lhe deixam espaço. 

Quando o altar estiver tomado por bons padres, coroinhas, acólitos, seminaristas e nas orações soar o tom grave da voz masculina estaremos vivendo verdadeiramente dentro do Plano de Deus.

Paz e Bem!

ps: a ETWN é a maior emissora católica do mundo e possuí um dos acervos mais fiéis sobre as noticiais e orientações da Santa Sé, foi fundado pela Madre Angélica. 





You May Also Like

10 comentários

  1. Excelente Ana. Infelizmente na minha paróquia geográfica tem duas ministras extraordinárias e pra piorar elas ficam a missa toda sentadas AO LADO DO PADRE. Sabe onde devem ficar os co-celebrantes? Bem ali.A missa inteira. Depois não entendem pq a paróquia está vazia e o padre está tendo que demitir os funcionários da casa paroquial... Misericórdia, Senhor!

    ResponderExcluir
  2. Pode mulher servir na liturgia da missa? Desculpa não entendi muito bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Paz e Bem! Não pode. Treine a leitura isso é muito importante nesse tempo.

      Excluir
    2. Eu quis dizer leitura mas acho que dá no mesmo. Obrigada!😊

      Excluir
  3. Ana, faço parte da liturgia, fazendo as leituras ou comentando, nesse caso também nao pode?? Se eu sair estarei deixando de servir a Deus?

    ResponderExcluir
  4. Ana, faço parte da liturgia, faço leituras e comentário, estou errada? Se eu sair estarei deixando de servir a Deus ?

    ResponderExcluir
  5. Obrigada, Ana! Dá vontade de enviar para a igreja que freqüento. Deus lhe abençoe.

    ResponderExcluir
  6. Ana,a questão das leituras da Missa, percebo certa confusão... Pq muitos sites divulgam que a mulher não deve fazer as leituras, seria em caso de necessidade? Se não houver um leitor?

    ResponderExcluir

Olá, Paz e Bem! Que bom tê-lo por aqui! Agradeço por deixar sua partilha.