Recém convertido ao Catolicismo: por onde começar

by - outubro 10, 2022




Introdução


Parece que não, mas pessoas se convertem a todo momento e existem várias "safras de convertidos", como gosto de chamar: 

a) os que vem dos meios carismáticos; 

b) os que vem dos "meios mais racionais" (que são um número cada dia maior): que se converteram por ação do estudo, por ação de institutos; numa busca individual ou não. 

Dentro de cada uma dessas safras existem os que são "os filhos pródigos" e os "filhos mais velhos", ou seja: 

1- os que saíram do catolicismo e voltaram ou os que nunca foram católicos, 
2- os que nunca saíram da Igreja, que sempre estiveram aqui, participando, mas que se converteram estando aqui dentro. 

Bem, para que você saiba, eu sou do segundo grupo, sempre estive dentro da Igreja, embora tenha tido uma ou duas situações que resolvi encenar o filho pródigo, mas nunca dava certo, eu era o filho mais velho mesmo, o que reclama da bondade do Pai para com os pródigos e recebe a resposta " mas tudo que é meu é teu", pois é, essa pessoa aí sou eu, pessoalmente, acho que essa é a chave da conversão daqueles que, como eu, nunca saíram daqui e, veja bem, nunca quiseram sair... às vezes nós nos esquecemos que tudo que é dEle é nosso também, porque quando na parábola o pai diz isso quer dizer que o filho era tão amado que não precisava pedir um cordeiro para fazer um churrasco era só ir lá e pegar... claro que Deus tem mais que um cordeiro para um churrasco e que ao descobrir os tesouros da Graça podemos tomar como nossos, porque são nossos. Mas voltemos ao objetivo desse texto.


Não sei de qual safra você veio, mas seja muito bem vindo a nossa família, tenho certeza que irá se maravilhar, eu vivo agradecendo por ser católica, várias vezes. Mas vamos ao lado prático, afinal catolicismo é concretude. 



Sagrada Escritura, Sagrado Magistério e Sagrada Tradição


Esses são os pilares do catolicismo, sem o conhecimento de um deles a nossa fé se torna capenga. Claro que é muita coisa, dois mil anos são muitos anos e muito conhecimento e muita genialidade, mas se você seguir o caminho seguro da catolicidade conseguirá. O primeiro passo é saber que os pilares estão erigidos juntos e que:

a) a Bíblia é a Bíblia e precisa ser lida, é para nós espírito e vida, quem não conhece a Bíblia não conhece o Senhor. 

b) o Magistério é a função de ensinar que somente o Papa, os bispos e os padres possuem, você encontra essa coletânea de ensinamentos nas boas homilias das Missas, nos catecismos já publicados, nos ensinamentos e livros dos santos e bons padres, ou seja, o magistério abrange o ensinamento dado em todas as épocas, veja bem, não somente o magistério visível atual composto pelo nosso Papa e seus bispos atuais, isso resguarda o ensino para que seja coerente e idêntico ao ensino que os apóstolos nos deram, sem interpretações pessoais. O Magistério existe para manter o ensino puro e abundante em obediência ao ensino apostólico. 

c) a ação continua do Magistério da Igreja em ensinar gerou uma bagagem fascinante que nós chamamos de Sagrada Tradição, que é o ensinamento apostólico, desde os 12 apóstolos, até os seus sucessores atuais, que são os bispos em comunhão com Sua Santidade, O Papa. Esse ensino tem uma grande autoridade e deve ser abraçado, uma vez que sua função é nos ligar ao ensinamento católico passado de geração em geração. A Santa Tradição é o DNA católico, por isso se diz que cada sacerdote, e principalmente o Santo Padre, devem ser os zeladores da Santa Tradição, do ensino ininterrupto e imutável dos apóstolos em relação a fé e a moral dos cristãos. Nesse ponto, para salvaguardar o significado real do termo, é importante lembrar o que é uma tradição: por exemplo, se eu lhe disser, "nós temos uma tradição de Natal" e você me perguntar "que legal, pode me contar qual é?" e eu lhe responder "então, cada ano muda!" ...bem... você me achará louca, já que a característica inerente de uma tradição é simplesmente não mudar. Portanto, com a Santa Tradição é a mesma coisa, não muda, o que pode acontecer são adaptações em algumas orientações segundo a incapacidade do povo (eu e você, no caso). Também vale lembrar que essa Tradição, com T maiúsculo que cito, é distinta de "costumes locais", por exemplo, uma vez vi uma paróquia que tinha o costume de queimar os calendários do ano velho no ano novo (sufocando um padre com rinite no processo, coitado), bem, era um costume local, que poderia ser abolido pelo padre local, assim como foi inserido por um padre local. A Santa Tradição que me refiro aqui não muda, a Santa Tradição é o rosto da Imutabilidade Divina e você encontra essas orientações, principalmente, nos documentos dos concílios, mas veja bem, não somente de um concílio específico mas de todos os concílios desde o primeiro, em Jerusalém, até o mais recente. 


Sim, é bastante coisa. Por isso sugiro que respire e tenha calma, eu quero te ajudar nisso, ao menos um pouco, mas não poderia deixar de falar sobre essas três coisas, elas serão a base de uma boa vida cristã católica, você precisa conhecer a família da qual faz parte. Um recurso que pode ajudar é o Plano de Leitura Bíblica com os Comentários dos Santos Doutores (aqui), que lhe atualiza nos três pilares: no conhecimento da Bíblia, no ensinamento do Magistério e da Tradição. 



Participar de uma Paróquia



A nossa família tem uma organização, é assim: a sede de tudo é em Roma, como você já deve saber, o Vaticano (que não é uma propriedade da Igreja, é um patrimônio universal sob os cuidados da Igreja). Depois existem as "províncias eclesiásticas" (que abrangem as dioceses de uma região) que é regida por um arcebispo. Uma diocese (composta de várias cidades) é regida por um bispo, a diocese possuí sempre uma Igreja Mãe da Diocese, que normalmente é uma Catedral. Uma paróquia que é um conjunto de comunidades (bairros), cada uma com uma igreja local, é regida por um pároco (um padre administrador) e normalmente um ou dois vigários (também padres), as paróquias possuem sempre uma "Igreja Matriz", lá você encontra sempre um padre ou alguém solicito para te ajudar. 

Portanto, resumindo, você encontrará uma Igreja no seu bairro (raramente existem mais de uma igreja católica por bairro, por conta da unidade característica do Corpo Místico de Cristo, se existir, provavelmente, é por conta de alguma questão histórica da cidade), essa igreja pertence a uma paróquia (e tem um pároco responsável por essas almas), essa paróquia pertence a uma diocese (com um bispo responsável por essas almas, incluindo a dos padres e religiosos) e essa diocese pertence a uma arquidiocese (com um arcebispo responsável por essas almas todas, incluindo as almas dos padres e religiosos). Bem, por conta da distância de Roma cada país tem um Núncio Apostólico que é o representante do nosso Papa no país. 

Participar de uma paróquia, ativamente, é crucial, no entanto, sugiro que busque tarefas que realmente falta quem ajude, normalmente são as que não recebem nenhuma visibilidade. Além desse ponto, é importante saber da nossa obrigação de amor para com a Santa Missa aos Domingos e a Confissão Sacramental frequente. Essa obrigação que o amor nos impele dá toda a força necessária para viver a vida cristã que o Senhor deseja. Por isso é importante a fidelidade a uma paróquia, evite fazer "tours de igrejas", não participando assiduamente de nenhuma, eu sei que isso é gerado pela falta de pertencimento ou por uma visão preconceituosa, principalmente, para com aqueles que se converteram e já tomaram hábitos mais tradicionais, estes são frequentemente confundidos com rebeldes e, coitados, acabam tomando indiretas e nem sabem o motivo. Bem, a vocês que se vêem nessa situação, tenha paciência com o padre e com os irmãos, assim como com o seu processo de conversão, essa confusão é comum e normalmente suaviza, e muito, com prontidão para servir, principalmente no que é mais necessário e oculto. Depois, caso seja a sua missão, você poderá tomar outros lugares... evite querer ser mestre logo de cara... Sempre acho que imitar Santo Antônio que trabalhava na cozinha e surpreendia no sermão seja, talvez, um bom caminho para a vida em comum. 

Ajude a sua paróquia, esteja na sua paróquia. Mas se precisar viajar ou estar em outro lugar sempre terá uma paróquia ali, você nunca estará sozinho ou perdido, salvo algumas excessões, a Santa Missa é a mesma, em suas partes principais, em todos os lugares, novamente, por conta da nossa unidade.  


Oração e Vida Sacramental


Com o tempo busque estruturar a sua vida espiritual, a sua vida de oração. Você verá que ao ler e enriquecer o que você conhece da Igreja isso será bem mais fácil. Mas se lembre, o estudo serve para conhecer a Verdade, a oração nos guia para mudarmos a nossa conduta, por isso as duas coisas andam juntas e a mudança de conduta é o fruto do estudo e da oração. 

Você poderá utilizar alguns recursos para isso: 

- um app chamado Passo a Rezar, é do Apostolado de Oração Português e tem varias meditações. 

- um plano de vida espiritual (aqui) que pode ser unido a uma direção espiritual com a intenção de lhe fazer dar passos para instalar em si ações católicas cotidianas: santo terço, jaculatória, leituras e etc. 

Já a vida sacramental começa na recepção dos sacramentos e depois deságua na vida banal e cotidiana, portanto, a vivência frequente dos sacramentos e da oração vai purificando o nosso coração, mente e atos segundo o Evangelho. Portanto, após encontrar a sua paróquia e o seu pároco será a hora de verificar se você recebeu ou receberá o sacramento do batismo ou da eucaristia ou do crisma... enfim independente se precisará receber um ou todos, você passará por uma formação e então lhe será aberto a porta da Graça especial que cada sacramento nos confere, incluindo a Confissão Sacramental. É surreal, mas é real. Para isso se acostume a uma catequese contínua. 


Leituras 


Nem tudo pode ser vivenciado pela leitura, mas ela pode lhe ajudar muito a conhecer toda a graça de ser cristão. Na busca de tornar o povo apto para ler as Escrituras a Igreja fez escolas nos mosteiros. Portanto, a leitura sempre esteve ligada ao ato de evangelizar e ser evangelizado, sabendo disso separei algumas indicações de leituras (aqui) que podem lhe dar uma boa dose de estrutura, que será muito necessária. Lembre-se da regra de ouro: o que um santo diz é mais confiável do que o que eu digo, por exemplo, isso vale para muitas coisas e situações, os santos escreveram seus livros por vários motivos e um deles é você. Portanto, os leia, sem deixar de ler a Bíblia. 



Ser evangelizado e evangelizar


Esse é o ciclo do discípulo do Senhor. Mesmo sem "cargos oficiais" somos todos "filhos amados" e chamados a levar a Boa Nova. O nome "cristão" significa "outro Cristo" e "Cristo" significa "ungido". Quando você recebe o batismo e o crisma você é ungido, no primeiro como sinal da sua pertença, filiação divina, ou seja, você se torna príncipe ou princesa celestial e no segundo como mensageiro, soldado de Cristo. Bem, para que isso funcione é preciso sempre se deixar evangelizar, portanto, não existe fim no aprendizado, o Céu em si, que tanto buscamos, é um conhecer a Deus eternamente. Esse movimento para converter e converter e converter para Deus gera o ato de evangelizar. Santo Antônio em um dos seus sermões diz que a alma que viu o Senhor é como alguém que O vê passando correndo e que sai correndo atrás dEle e como está empolgado de amor passa a chamar a todos pelo caminho - sem perder o Senhor de vista - "não queres seguir Jesus?", "Vem corre!".

Isso é o que acontece com todos que vêem o Senhor passar, que vêem de verdade. Evangelizar é falar sobre o nome, a vida, as obras, o mistério e milagres de uma pessoa que está entre nós: o Senhor Jesus. Evangelização é falar do Senhor (veja bem, não de mim, nem de você, mas do Senhor). Mas nem sempre isso é fácil e natural, portanto a vivência e maturação dos pontos anteriores é crucial, somado ao simples ato de: busque pessoas com fé madura, que já vivem bem a fé. 



O diretor espiritual


Provavelmente, você escutará ou lerá sobre a direção espiritual. Trata-se de um padre que acompanha o seu processo espiritual, a função desse padre é lhe dar conselhos e mais precisamente moldar a sua alma. Realmente, lhe antecipo, verá dificuldade em encontrar um diretor, a depender da sua região. Por isso, já lhe apresentei o Plano de Vida Espiritual e outras ferramentas, assim, ao menos de base, trilhará um caminho seguro e facilitará o trabalho do seu diretor quando o encontrar. No entanto, é preciso que lhe explique alguns pontos sobre a direção espiritual:

- o padre não decidirá nada por você, no fim quem escolhe o caminho que seguirá é você, a função do padre é aconselhar e corrigir;
- salvo exceções a direção espiritual deve ser feita por um padre, o sacerdote é o único que recebeu luzes, pelo sacramento da ordem, para iluminar as almas, qualquer outra orientação sempre será fraternal;
- o diretor não é um produto no supermercado que podemos escolher segundo certas características, por isso, salvo se o padre orientar algo errado ou motivos maiores, não devemos mudar de diretor como quem muda de acessório;
- após um tempo de direção espiritual é comum que chegue a um crescimento guiado pelas estacas que o padre foi colocando e já não precise dele a todo tempo, isso é natural numa vida familiar e esperado, estranho seria se ficássemos estagnados para sempre no mesmo lugar; no entanto, a obediência ao que o padre diretor ensinou deve permanecer. 



Acredito que pontuei os principais pontos, mas se caso eu tenha me esquecido de algo, coloque nos comentários o tema que posso endossar esse texto em atenção a você. 

Seja bem vindo! Eu e os anjos estamos felizes e rezando por você!
Paz e Bem!















 


You May Also Like

1 comentários

  1. Paz e bem ! Ótimo texto Ana, e as únicas coisas que tenho dificuldade é no momento um diretor espiritual e participar em uma igreja , vejo tantos desmandos e atritos entre fiéis e me encomenda muito , sou avesso a injustiças , inclusive nas paróquias perto da minha casa até os padres são polêmicos. E vc falou de fazer tour em igrejas , eu faço porquê gosto de frequentar outras igrejas , não é tour me sinto bem em ouvir homilias diferentes.

    ResponderExcluir

Olá, Paz e Bem! Que bom tê-lo por aqui! Agradeço por deixar sua partilha.