Sendo Católico: Quando Satanás zomba de uma alma?

by - setembro 11, 2019


Sendo Católico: Quando Satanás zomba de uma alma?

"Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém" (1 Cor 6, 12)


Tempo de Leitura: 2 minutos

"Uma certa memorização das palavras de Jesus, de passagens bíblicas importantes, dos dez mandamentos, das fórmulas de profissão de fé, dos textos litúrgicos e das orações essenciais e de noções chaves da doutrina..., longe de ser contrária à dignidade dos jovens cristãos, ou de constituir para eles um obstáculo para o diálogo pessoal com o Senhor, é uma verdadeira necessidade... É preciso ser realista. As flores da fé e da piedade cristã, se assim se pode dizer, não crescem nos espaços ermos de uma catequese sem memória. O essencial é que os textos memorizados sejam ao mesmo tempo interiorizados, compreendidos pouco a pouco na sua profundidade, a fim de se tornarem fonte de vida cristã pessoal e comunitária" (Catechesi Tradendae, ponto 55, de São João Paulo II, 1979)


Catequese Essencial I: aqui


Catequese Essencial II: aqui


Catequese Essencial III: aqui


Catequese Essencial IV: aqui


Catequese Essencial V: aqui



Catequese Essencial VI: aqui



Catequese Essencial VII: aqui



Catequese Essencial VIII: aqui



Catequese Essencial IX: aqui


Catequese Essencial X: aqui

 Catequese Essencial XI: aqui



Quando satanás zomba de uma alma?


Satanás zomba (induz ao erro, engana, ilude...) de uma alma, quando consegue convencê-la de que só o pecado, isto é, a desobediência a uma ordem de Deus ou a Igreja, é um mal.



1- Tríplice aspecto da Vontade de Deus.


1º - Vontade que manda sob a pena de pecado mortal (Ex: não matar!)
2º - Vontade que manda sob a pena de pecado venial (Ex: temperança na alimentação)
3º - Vontade que não manda, mas manifesta um desejo. Opor-se a Vontade de Deus de desejo não é pecado, mas é um mal, porque priva de preciosas graças atuais, com as quais a alma poderia crescer no amor a Deus e ao próximo e merecer, um dia, maior glória no paraíso.



2- A imperfeição


A imperfeição na vida espiritual, é dizer "não" a um desejo de Deus.

Pode ser:
a) Positiva (ou voluntária) - exige duas condições: - que a manifestação do desejo de Deus seja bem clara (inspiração interna; conselho do diretor espiritual; convite do superior...); - que o nosso "não" seja plenamente consciente.

b) Negativa: quando falta uma das duas condições (e, ainda mais, se faltam as duas).
Somente a imperfeição positiva, se aceita habitualmente na nossa vida, torna-se obstáculo à perfeição.



3-  A característica da alma que caminha na estrada árdua e feliz dos desejos de Deus, A única que garante a santidade e a salvação eterna, é a escolha da "porta estreita", da penitência, da cruz, da renúncia; é a descoberta do valor da cruz!


"Penitência, mais penitência, e desprendimento de todas as coisas, e jamais, se quer possuir a Cristo, O busque sem cruz" (São João da Cruz).
"Quem trabalha, pelo Reino de Deus, faz muito; quem reza, faz mais; quem sofre, faz tudo" (Frantisek Tomasek, Arcebispo de Praga).
Retirado do livro: Catecismo Essencial de 1987

You May Also Like

1 comentários

Olá, Paz e Bem! Que bom tê-lo por aqui! Agradeço por deixar sua partilha.