Espiritualidade diária dos consagrados à Santíssima Virgem Maria é diferente?

by - fevereiro 27, 2016


A Consagração é uma graça na minha vida, um divisor de águas e acredito que é também na sua.

Antes de iniciar falando um pouco sobre o dia a dia, quero dizer que, assim como você já sabe a Consagração é uma determinação, uma resolução consciente, que quando bem vivida nos liberta para o Céu, é uma escravidão que liberta, coisas que somente um Deus de Bondade pode fazer através do coração da Mãe.

Assim, quem é consagrado se propõe a entrar na Arca da Aliança, a achar refugio nessa nova Arca como um dia toda a criação achou refugio na Arca de Noé e com isso se salvaram. Assim também será.

Mas isso exige sim, uma vivência da nossa parte. Afinal, viver DENTRO de uma Arca como é o coração de Maria é uma grande graça.

Atenção: QUEM NÃO PODE SE CONSAGRAR: amasiados, pessoas em namoros imorais, homossexuais que não rejeitaram suas más inclinações,  pessoas com vida sexual desregrada, pessoas que não estão em estado de graça (ou seja estão vivendo vidas que não permitem a comunhão), aqueles que defendem o aborto, o comunismo, as mulheres que fazem uso de anticoncepcionais ou métodos contraceptivos, que frequentam a maçonaria, espiritismo, candomblé ou qualquer outra seita. Ou seja, qualquer pessoa que esteja em pecado mortal.

O que é pecado mortal? O pecado mortal é cometido quando, ao mesmo tempo, há matéria grave, plena consciência e deliberado consentimento. Este pecado destrói a caridade, priva-nos da graça santificante e conduz-nos à morte eterna do inferno, se dele não nos arrependermos.

No entanto, quais são as exigências? 


Viver como um batizado.

Sabe, tenho notado que anda havendo uma deturbação bem diabólica nesse sentido, fazendo com que os Consagrados ou sejam vistos como aliens ou como semi anjos.

Como você já deve saber, por experiencia, não é nada disso e devemos fazer a nossa parte para desmistificar essa visão.

Para isso é preciso entender porque ela existe...

Existe, justamente por conta da não vivência do batismo. A verdade que muitos de nós fomos batizados, crismados e ainda achamos normal viver como se fosse do mundo, "normal".

Sabia que os primeiros cristãos, quando batizados, saiam logo depois fazendo milagres pelo nome de Jesus, tamanha era a fé? 

Pois é...o ponto esta aí, ser Escravo é viver por amor o que já tínhamos dito no batismo e no crisma.

Mas então porque se consagrar? Se não tem nada de "pá", nada "owww"?


O fato é que na Consagração, nós nos lançamos em braços mais poderosos, sábios e exemplares. Viver como batizados se torna uma meta real e o foco da vida.

Isso se a Consagração é mesmo feita de verdade...mas mesmo nesses casos, acredito que Mamãe vai moldando o coração para a autenticidade.

Sabendo então destas questões, basta que relembremos as orientações da Igreja para ser cristão e a pratiquemos com constância e com o "coração ao Alto" pois nosso "coração esta em Deus".

Primeiro vale lembrar que nem mesmo os monges passam o tempo todo rezando, logo um Consagrado também não é chamado a isso, não sei que ideia é essa que passa pela cabeça de todos.

Mas é fato que é preciso de uma vida de oração. Obviamente...aliás isso vale para TODO cristão, não só para os Consagrados.

Os pontos básicos, ou seja que devemos colocar atenção e amor, sugestões para serem acrescentadas ao dia, de acordo com sua escolha, são:

Espiritualidade diária dos consagrados à Santíssima Virgem Maria é diferente?

Lectio Divina (a Igreja orienta meia hora)

Devoção Mariana: Acho que esse é o ponto que se faz uma distinção, os Escravos percorrem o caminho para o Céu com Maria, a Mãe do Senhor e nossa mãe. Logo, é preciso ter um relacionamento com ela.
A mais indicada é o Santo Terço, indicada pela própria Mãe, logo é necessário escutar. No entanto, existem outras: Coroinha de Nossa Senhora, as Três Ave Marias, ler um livro sobre Maria, uma música.
O sábado é um dia para honrar Maria, então, ir a missa no sábado e dedicar a Maria seria o ideal.
Além de conversas frequentes com a Mãe, por isso que meditar o terço e entrar no Evangelho é benéfico, é como uma reunião de família, Jesus e Maria vão ensinando.
O exame de consciência ajuda muito(que uma orientação da Igreja para todo cristão)

Santa Missa: parece óbvio mas vejo necessidade de dizer. A frequência é: quanto mais melhor. O máximo que for possível considerando os horários da Missa e seus compromissos realmente importantes (são estes os que, se você faltar, causará escândalo, tipo trabalho, alguma coisa que você deu sua palavra). Por isso que o ideal é organizar sua vida para a missa, não a missa para sua vida. 

Um escravo de Maria deve ter uma vida de batizado total e isso exige uma Vida Sacramental (que é chamado de todos os batizados, aliás, vou repetir até a morte), se o que você fala, pensa ou age te afasta de receber Jesus Eucarístico não faça.

Adoração ao Santíssimo: a regra vale, quanto mais melhor. Usando horário de almoço ou antes de entrar no trabalho ou depois que sair, se houver uma Igreja próxima. No minimo uma vez na semana. O  tempo, vale lembrar, que a qualidade é melhor que a quantidade, dez minutos de adoração e entrega agradam o coração de Deus, se feitos de coração e for o seu máximo, assim como uma hora feita de coração e for o seu máximo, o que importa é a constância

Caso não exista uma Igreja próxima a Comunhão Espiritual pode ser feita com um tempinho que você encontre durante o dia. Minutinhos, várias vezes ao dia, vivendo o "corações ao alto", "nosso coração esta em Deus".

A Consagração, não é um peso é uma alegria (não essa do mundo de pular e gritar, viver com um sorriso colgate na cara o tempo todo - afinal um sorriso não significa felicidade necessariamente, pode ser educação mas raramente felicidade - , é uma alegria consciente, de coração que gera paz), mas não devemos esperar recompensas, likes, aparências nessa vida. 

Ser escravo não é um titulo para aparecer, para se gabar, para gerar vaidade, um escravo é um escravo, o menor, só deseja fazer um bom serviço, honrar as correntes que lhe deram a liberdade do batismo vivido realmente.

Modéstia: outra coisa que vou repetir até a morte, a modéstia pertence a temperança, assim como a castidade, ambas levam a pureza, portanto, devemos buscar a prática das VIRTUDES (chamado de todo batizado, só para constar).Vale lembrar que, quanto a modéstia, não me refiro somente as roupas, mais ao comportamento, ao Pudor. Até, porque, saia e roupa social não é uma exigência. Mas, respeitar o corpo é sim (aliás, de todo batizado). E vou repetir, tu não é obrigada a usar saia e roupa social quando se consagra, nesse ponto, digo sempre, quem molda é Nossa Senhora. Mas não é obrigado, quem usa o faz pois foi incomodada pela Santa Virgem, nesse sentido, pois realmente lhe agrada. 

Mamãe trabalha na alma de cada um. Tanto o comportamento e todo o exterior aos poucos tudo vai mudando e se ordenando, desde que haja uma determinada determinação de viver o que consagração propõe: uma vida de cristão batizado. O exterior muda a partir do interior! Que é a verdadeira obrigação da Consagração viver em Maria, com Maria, por Maria, para Maria. 

Para finalizar, quero dizer que a Consagração é total, logo tem efeito sim no combate contra o Inimigo, tanto em relação a afrontas explicitas quanto em relação aos vícios. Isso também é visto na luta em si próprio e o apego as coisas do mundo. O que digo acima é visto facilmente na Preparação: Conhecer a si mesmo. Afinal o demônio usa facilmente nossas falhas como brecha para entrar. 

Logo, falo mais...

Paz e bem!
















You May Also Like

1 comentários

  1. Sempre é bom ler ou ouvir algo incansavelmente sobre como ser um bom escravo de Maria. Hoje escutei palestras do Padre Rodrigo através do youtube sobre a Santa Escravidão, sempre ler ou ouvir edifica a alma... recomendo a todos vcs... também recomendo as palestras do Padre Paulo Ricardo sobre a Santa Escravidão no youtube. Com Maria podemos viver melhor as promessas do nosso batismo. Paz e Alegria!

    ResponderExcluir

Olá, Paz e Bem! Que bom tê-lo por aqui! Agradeço por deixar sua partilha.