Combatendo o mal: Introdução ao discernimento dos espiritos

by - julho 18, 2015


Ao escrever o tema "Pensamentos" na série Damas da Rainha, percebi a necessidade de entrar nesse tema. Vamos estudar Discernimento dos Espíritos? Essa é base da vida de oração cristã, da vida em todas as vocações, enfim não há como negar que estamos sobre a influência de anjos e demônios, basta saber como discernir entre eles. Não vou falar que é fácil... é um dom que devemos pedir com persistência. Para mim é um dom que possui "um mix" do dom da sabedoria e da ciência, precisamos deles. Acredito também que nunca seremos mestres nisso, todo o discernimento que recebemos vem de Deus, por misericórdia e bondade ao ouvir nosso pedido. 




Vale também lembrar que a maioria das pessoas pensam que estamos tratando de manifestações visíveis mas devemos lembrar que a ação sobre os pensamentos é silenciosa e as muitas vezes mais destruidoras, pois precisam de análise profunda para ser percebida. 

Santo Inácio, que é um mestre da oração se baseia nisso para orientar seus exercícios espirituais:

Livro Para encontra Deus em todas as coisas. 

Os pensamentos são nossos maiores inimigos e são usados infinitamente como pedra de tropeço. Os Padres antigos diziam que os pensamentos são influenciados por um anjo ou um demônio. E na prática podemos fazer a análise, o discernimento dos espíritos pelas reações que os pensamentos nos geram.

Se o pensamento é influenciado por um anjo gera, normalmente, uma sensação de paz e tranquilidade, quando é influenciado por um demônio gera prazer vazio. No entanto, como a análise é difícil pela astúcia dos espíritos devemos nos orientar pela oração e pelo ensinamento da Igreja. 

Esse é um dos pontos mais importantes ao se iniciar a análise de um pensamento, saber de onde (atividade, situação, assunto que favorece o pensamento) e quem ele é de verdade (claro que aqui me refiro a pensamentos persistentes e que possuem fundo espiritual, por exemplo a vaidade, a inveja, a luxuria, cada um possui uma característica espiritual especifica, que veremos no próximo post).

Aqui usarei os ensinamentos de Evágrio, padre do deserto, analisados pelo monge beneditino Anselm Gruun. 

Segundo Evágrio, temos que analisar os pensamentos e as emoções, o que geram em nós emocionalmente e principalmente o que (situação, atitude ...) ou quem (pessoas mesmo) o gerou, para que saibas o que fazer. Não podemos nos acovardar, os pensamentos devem ser ordenados e isso deve ser feito por nós com o auxilio de Deus.







Não é um processo rápido e nem fácil, mas gera crescimento espiritual. Aqui também, desejo advertir que não devemos ter a tendencia de ver demônios em tudo, afinal o discernimento dos espíritos é o dom que permite diferenciar o que vem de Deus, do maligno ou do ser humano. Considerando que a humanidade esta deteriorada muitas coisas podem vir de um ser humano sem Deus, pois nele esta constantemente a ira contra Deus e os outros homens. 

Voltando, a frequência dos pensamentos e a intensidade também são importantes. Muitas vezes os pensamentos são intensos mais raros e outros são frequentes, no entanto, amenos. 



Além disso também nos orienta a não orar durante os pensamentos de tentação, mas ir antes com uma ira ao combate. Interessante que ensina que a ira é um sentimento que afugenta espíritos sejam eles bons ou ruins, assim pode ser usada como arma contra um pensamento que provem de um mal espirito.

Lembrando que há uma forma de tornar essa repulsa mais eficaz, que iremos aprender no próximo post, mas por hora é importante lembrar que manifestar uma "ira santa" contra o que desagrada a Vontade de Deus já nos dá força para expulsar o pensamento.



No entanto, segundo Santo Inácio o pensamento pode voltar e nesse momento a recusa se torna mais meritória, por persistência em seguir a Deus.

Evágrio também ensina que devemos enfrentar e não ter medo do inimigo. O medo é primeira coisa que nos envolve, ninguém esta isento e são justamente nossas emoções que são usadas contra nós e nesse caso não podemos contar com nós mesmo. Nesse momento, a coragem vem da fé.



Por fim, esse combate deve sempre ser regado por uma tranquilidade, é muito difícil ser levado pelos pensamentos se o espirito esta tranquilo, os pensamentos são sugestões que nem sempre devem  ser seguidas. Um espirito tranquila pode "ver" com mais clareza os erros da mente e não embarcar logo "de cara". 

Veremos posteriormente os tipos de espíritos, suas condutas e métodos para reconhecê-los e repudiá-los baseado nos ensinamentos dos Padres do Deserto. 

Paz, bem e muita saúde.


*Fragmentos dos escritos de Evágrio in Gruun, Anselm. Convivendo com o Mal. 


Leia também:
Meditação do Terço| Contemplação dos Mistérios da Alegria
Meditação do Santo Terço| Escudo de Rosas


You May Also Like

0 comentários

FOLLOW ME @INSTAGRAM