Cronograma para a Total Consagração à Santíssima Virgem Maria: Agosto de 2021

by - janeiro 05, 2021


Cronograma para a Total Consagração à Santíssima Virgem Maria: Agosto de 2021


1- Introdução

Salve Maria Puríssima!

Sabendo que muitos desejam se consagrar e que precisam de cronogramas detalhados para a etapa de preparação e exercícios espirituais, iniciei o trabalho de fazer cronogramas para as datas marianas de cada mês. 

Portanto, não deixe de se consagrar ou renovar a sua consagração seguindo o cronograma passo a passo. Não deixe de acessar os links sugeridos, toda formação que receber é válida para uma consagração madura.


Caso você não saiba o que é a Total Consagração baixe: o Brevíssimo Catecismo da Total Consagração aqui. 


Agora segue as orientações para quem deseja se consagrar:

Atenção: QUEM NÃO PODE SE CONSAGRAR: amasiados, pessoas em namoros imorais, homossexuais que não rejeitaram suas más inclinações,  pessoas com vida sexual desregrada, pessoas que não estão em estado de graça (ou seja estão vivendo vidas que não permitem a comunhão), aqueles que defendem o aborto, o comunismo, as mulheres que fazem uso de anticoncepcionais ou métodos contraceptivos, que frequentam a maçonaria, espiritismo, candomblé ou qualquer outra seita. Ou seja, qualquer pessoa que esteja em pecado mortal e não tem a intenção de deixar essa situação, aqueles que querem se dedicar a fazer a vontade já expressa de Deus, devem se determinar a sair dessa situação de vida, buscar um sacerdote, pois Deus não recusa o perdão e acolhimento a quem deseja amá-lo e se emendar com determinação. "Quem me ama segue os meus mandamentos" (Jo 14, 21)


O que é pecado mortal? O pecado mortal é cometido quando, ao mesmo tempo, há matéria grave, plena consciência e deliberado consentimento. Este pecado destrói a caridade, priva-nos da graça santificante e conduz-nos à morte eterna do inferno, se dele não nos arrependermos.


1- Cronograma de Estudo do Tratado da Verdadeira Devoção


a) O cronograma é embasado em duas horas semanais de dedicação, 

b) Para realizá-lo é preciso ter em mãos o Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem, é obrigatório!

c) Para cada capítulo você encontrará uma um texto de apoio, que não devem ser negligenciados, visto que estudar o Tratado é de fundamental importância para o entendimento do que é a Consagração,

2- Cronograma de Exercícios Espirituais Preparatórios


a) Para se consagrar é preciso fazer 30 dias de Exercícios Espirituais, para isso você deverá usar as orações orientadas por São Luís de Montfort no fim do Tratado.

b) Para melhor vivência desse período, você deverá escutar os áudios com temas de reflexão para cada dia, tornando assim esse tempo mais fecundo e profundo.

Então, segue o seu cronograma e que você tenha uma determinada determinação de não retroceder:

Para melhor aproveitamento leia o capítulo do dia no Tratado e o texto de apoio. Você pode realizar esse aprofundamento durante a semana, mas aconselho não deixar muito tempo entre a leitura do capítulo e o aprofundamento, pois nossa memória é sempre muito fraca e nossa carne também, de modo que você pode afrouxar a formação.

Dia da Consagração: você deve realizar uma Confissão Geral (clique aqui.), Comunhão e Recitar a fórmula da Total Consagração (que está no fim do Tratado) em frente a uma imagem da Santa Virgem, não é obrigatória a presença do padre ou após a Comunhão, dentro do Rito da Santa Missa, se padre autorizar.

Qualquer dúvida, após o estudo do material linkado, estou a disposição!


2- Materiais necessários e de apoio


a) Para se consagrar você precisa ler, como já dito, obrigatoriamente o:

Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem de São Luís de Montfort (encontre aqui)

b) Para lhe auxiliar durante a sua formação lhe ofereço um material de apoio e aprofundamento para download gratuito:

- e-book: Eis os Escravos do Senhor (clique aqui para baixar)
- Checklist (para preencher) dos dias de Formação (clique aqui para baixar)
- Checklist (para preencher) dos 30 dias de Exercícios Espirituais (clique aqui para baixar)
- Orações para cada semana dos Exercícios Espirituais (clique aqui para baixar)
- Áudios com Meditações para cada dia dos Exercícios Espirituais (clique aqui para baixar)

c) Bibliografia adicional para leitura, em tempo oportuno, após a consagração:

- Segredo da Total Consagração a Santíssima Virgem (encontre aqui)
- Glórias de Maria (encontre aqui)
- Meditações sobre as Virtudes de Nossa Senhora (encontre aqui)
- O ideal da alma fervorosa (encontre aqui)


3- Planejamento das datas de Formação e Exercícios Espirituais


CRONOGRAMA DE AGOSTO

02 - NOSSA SENHORA DOS ANJOS
15 - NOSSA SENHORA DESATADORA DO NÓS
22- NOSSA SENHORA RAINHA
26- NOSSA SENHORA DE CZESTOCHOWA

Nossa Senhora dos Anjos

Origem

Este lindo título de Nossa Senhora possui origens franciscanas. A Ordem dos Frades Menores é proprietária da grandiosa basílica de Santa Maria dos Anjos, que está situada em uma planície perto de Assis, na Itália. Dentro da basílica existe a capela da Porciúncula, que foi onde São Francisco faleceu. O local é considerado como o lugar onde foi fundada a Ordem Franciscana.

Uma capela única

Ninguém sabe com certeza a origem da capela, mas diz a tradição que um grupo de peregrinos que voltava da Terra Santa a construiu e que nela havia uma relíquia do túmulo de Nossa Senhora. Tal relíquia era muito venerada. Quando os fiéis se reuniam na capela para rezar, eles podiam ouvir o coro dos anjos, motivo pelo qual a capela e a posterior basílica foram chamadas de Nossa Senhora dos Anjos.


Nossa Senhora Desatadora dos Nós



Naquele tempo, o pároco da capela de São. Peter, na cidade de Augsburg, encomendou um quadro de Nossa Senhora ao pintor Johann Schmittdner. O pintor era um cristão fervoroso e conhecedor profundo de textos dos Padres da Igreja. Por isso, antes de pintar o quadro, ele foi buscar inspiração nas palavras de Santo Irineu, Bispo de Lyon, que viveu no Século III. Ele encontrou um texto chave, que diz:
Eva atou o nó da desgraça para o gênero humano, Maria por sua obediência o desatou.

A força da imagem

Por causa dessas palavras inspiradas de Santo Irineu, Johann Schmittdner concebeu um quadro onde Nossa Senhora é representada como a Imaculada Conceição e aparece entre o céu e a terra. Acima dela, o Espírito Santo derrama suas luzes. Em sua cabeça tem 12 estrelas, lembrando o texto de Apocalipse. Do lado esquerdo da Virgem um anjo aparece e entrega-lhe uma fita com nós grandes e pequenos, separados e juntos. Estes nós simbolizam o pecado original e nossos pecados cotidianos. Esses pecados nos causam problemas, nos levam para longe de Deus e nos impedem que a graça de Deus frutifique em nossas vidas. Do lado direito das mãos de Maria, a fita aparece sem nós e desce lisa até às mãos de outro anjo, mostrando que Maria está desatando os nós. Simboliza a vida nova mergulhada em Deus e na sua misericórdia e o poder libertador das mãos de Maria.

Imagem de Nossa Senhora Desatadora dos Nós

Na parte debaixo da Virgem Maria, há um anjo, um homem e um cachorro dirigindo-se a uma igreja. Este simbolismo parece ser uma referência ao livro de Tobias (6,13). No livro, Tobias enfrenta uma longa e penosa viagem procurando a cura de seu pai que ficara cego. Na viagem, ele conhece Sara que já tinha sido casada sete vezes, mas sempre na noite de núpcias, seus maridos morriam por causa de um demônio.
Através da oração, do jejum, da ajuda do Arcanjo Rafael e do poder de Deus, Tobias liberta Sara dessa maldição e casa-se com ela. Depois volta à casa de seu pai com um remédio que o Anjo Rafael lhe mandara fazer e o pai fica curado. Isto significa que para que dois corações venham a se encontrar, é preciso desatar primeiro os nós. E assim é a imagem de Nossa Senhora Desatadora dos Nós: rica de mensagens, simbolismos e profundidade teológica.

Invocação de Nossa Senhora Desatadora dos Nós

Desde que o quadro foi colocado na capela de Augsburg, Nossa Senhora Desatadora dos Nós é invocada como a Mãe que desata os nós do pecado e dos problemas que nos prendem. O quadro está lá até hoje e a capela é cuidada pelos jesuítas.

Graças e mais graças alcançadas

O belíssimo quadro de Nossa Senhora Desatador dos Nós rapidamente se tornou objeto de devoção e culto primeiramente em Augsburg. Logo, notícias de graças sobre graças recebidas através da oração a Nossa Senhora Desatadora dos Nós se espalhou. Então a devoção se espalhou pelo mundo. E onde quer que se leve a devoção, as graças acontecem. Nossa Senhora desata os nós da vida das pessoas, trazendo liberdade, realização e felicidade. A Novena Infalível de Nossa Senhora Desatadora dos Nós se espalhou pelo mundo. São milhares de graças alcançadas através desta oração poderosa.

Nossa Senhora Rainha


Origens

A festa litúrgica de Nossa Senhora Rainha é conhecida também festa do “Reinado de Maria”. Ela foi instituída no ano 1954 pelo Papa Pio XII. Aconteceu quando ele coroou Nossa Senhora na Basílica de Santa Maria Maior, que fica em Roma, Itália. No dia 11 de Outubro de 1954, Pio XII promulgou também a Encíclica Ad Caeli Reginam (A Rainha do Céu). A carta é um tratado sobre a realeza e a dignidade de Maria.

A data

A princípio, a data da festa foi estabelecida para o dia 31 de Maio, mês de Maria. Agora, porém, a celebração acontece na oitava da Assunção, isto é, oito dias após a festa da Assunção de Nossa Senhora. Assim, fica manifesta a íntima ligação entre a Assunção de Maria e sua coroação no céu.

Fundamentação

O Papa Pio XII deixa claro na Encíclica Ad Caeli Reginam, que "os Teólogos da Igreja, extraindo sua doutrina" consultaram os escritos e sermões de vários Santos, bem como testemunhos da Tradição antiga. Em todos esses casos, lê-se na Encíclica, os santos e a Tradição "referem-se à Santíssima Mãe Virgem Rainha de todas as coisas criadas, Rainha do mundo, Senhora do universo".

O reinado de Maria depende do Reinado de Cristo

A celebração do Reinado de Nossa Senhora tem sua origem na festa de Cristo Rei do Universo, ou, festa do “Reinado de Cristo”. Como Jesus Cristo é Rei, sua mãe terrena, pura e imaculada, também é Rainha. Não se trata de um reino deste mundo, mas de um reinado eterno, universal, segundo a vontade de Deus.

Vaticano II

O livro Lumen Gentium (Luz dos Povos), do Concílio Vaticano II, no Capítulo 59, diz: "A Virgem Imaculada (…) foi elevada ao céu em corpo e alma e exaltada por Deus como rainha, para assim se conformar mais plenamente com seu Filho, Senhor dos senhores e vencedor do pecado e da morte".

Os Papas e o Reinado de Maria

Papa Paulo VI

O beato Papa Paulo VI, em sua Exortação Apostólica intitulada Marialis Cultus (Culto a Maria), escreveu: “... na Virgem Maria tudo é referido a Cristo e tudo depende Dele: em vistas a Ele, Deus Pai a escolheu desde toda a eternidade como Mãe toda Santa e a adornou com dons do Espírito Santo que não foram concedidos a nenhum outro”. Por isso, ela é Rainha do céu e da terra.

Papa Bento XVI

Na festa de Nossa Senhora Rainha de 2012, o Papa emérito Bento XVI disse: “... esta realeza da Mãe de Deus se faz concreta no amor e no serviço a seus filhos, em seu constante velar pelas pessoas e suas necessidades.” O reinado de Nossa Senhora aparece concretamente para nós que vivemos neste mundo, através do amor e do serviço de proteção e intercessão que ela presta a nós, que ainda caminhamos neste mundo.

São Luis de Monfort

São Luis Maria Grignon de Monfort, autor do Tratado da Verdadeira Devoção à Virgem Maria, escreveu no número 38: "Maria é a rainha do Céu e da terra, por graça, como Cristo é Rei por natureza e por conquista".

Oração a Nossa Senhora Rainha

Ó, Maria sem pecado concebida! A mais Preciosa Menina, Rainha das Maravilhas. Ajuda-me neste dia a ser sempre teu verdadeiro filho, para chegar um dia ao Deus da Vida. És Rainha do Céu e da Terra, gloriosa e digna Rainha do Universo a quem podemos invocar de dia e de noite, não só com o doce nome de Mãe, mas também com o de Rainha,  como te saúdam no Céu com alegria e amor todos os Anjos e Santos. Nossa Senhora Rainha, Celeste Aurora, enviai a Luz Divina do Universo para me ajudar a resolver estes problemas (descrever resumidamente os problemas) Amém.”
Pai Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai.

Nossa Senhora de Czestochowa

A História


Conforme tradição muito antiga, o quadro de N. Sra. do Monte Claro é cópia fiel da pintura feita pelo evangelista São Lucas.
Seguidas vezes, são Lucas visitava Virgem Maria, colhendo dela pormenores da infância de Jesus. Foi numa dessas ocasiões que ele, na própria tábua da mesa de cedro que Nossa Senhora usava para seu trabalho e oração, pintou sua imagem.

Diz a lenda que, ao iniciar a pintura do rosto da Virgem Maria, deteve-se pensativo, preocupado em exprimir da melhor forma possível toda beleza da Mãe de Deus. Profundamente recolhido, cochilou e adormeceu por alguns instantes e, acordando, surpreendeu-se ao encontrar o quadro pronto, no qual o rosto de Maria, de celestial beleza, estava pintado.

Sendo Jerusalém ocupada pelo exército romano, a Santa Helena - mãe do Imperador Constantino - foi conhecer os lugares santos e procurar o lenho da Santa Cruz. Santa Helena viu o quadro e recebeu-o das mulheres que o guardavam. Encontrando também o lenho da Santa Cruz, enviou ambos a seu filho Constantino o Grande, Imperador de Constantinopla, naquela época, metrópole da Igreja.

Esse Imperador, recém convertido ao cristianismo, recebeu o quadro enviado por sua mãe, com grande alegria, colocando-o na capela particular de seu palácio. Muitas cópias do quadro milagroso foram feitas, por ordem de Constantino, e por ele doadas aos cristãos do oriente e ocidente. O quadro original permaneceu com ele. Por mais de 400 anos o quadro permaneceu nas capelas particulares, como propriedade dos príncipes russos. Depois o quadro foi transferido para a capela do castelo Belz, na Rússia, onde permaneceu por muitos anos.
Entrando a Rússia em guerra contra Ludovico, rei da Hungria e da Polônia, foi por este vencida. A cidade de Belz e o castelo caíram nas mãos de Ludovico, que nomeou seu sobrinho Ladislau, Príncipe de Opole - Polônia, como governador de Belz.

Visitando as dependências do castelo, Ladislau encontrou o quadro de N.Sra. e, cheio de respeito e amor para com Mãe de Deus, colocou-o na capela do palácio. Entretanto, pouco tempo depois, a cidade de Belz foi invadida pelos Tártaros, que atacaram o castelo.

Ladislau com sua agente, defendia-se de forma heróica dos invasores muito mais numerosos. Vendo que seus esforços eram inúteis, Ladislau recorreu à proteção de Maria e, prostrando-se diante do Quadro sagrado, pediu socorro, que lhes veio sem demora. O príncipe, grato pela ajuda milagrosa, decidiu retirar o quadro da Virgem de Belz, pois era um lugar exposto aos ataques dos Tártaros, e levá-lo a Opole (Polônia) capital do seu principado.
Contudo, por desígnio de Deus e vontade de Maria, resolveu deixar o quadro numa capela situada na colina chamada Monte Claro, perto de Czestochowa. O ponto mais alto, por ser um descalvado de calcário, recebeu este nome de Monte Claro (= Jasna Gora)


Chegada do Quadro Milagroso à Polônia 


Em agosto de 1382, O Príncipe Ladislau confiou o quadro milagroso aos cuidados dos Frades Paulinos, seus fiéis guardiões. Construiu-lhes, com ajuda do povo daquela região, o convento, a igreja e fez generosa doação em terras e aldeias para manutenção do convento e do Santuário. Ladislau Jagiello, rei da Polônia e Lituânia, não só aprovou as doações do Príncipe, mas contribuiu com outro tanto por sua parte.
  
A pedido deste rei, o Papa Martinho V, pela Bula de 27 de Novembro de 1429, enriqueceu o santuário de Monte Claro com diversas indulgências e com a benção papal.
Desde o primeiro dia da chegada do quadro da Virgem Maria na terra polonesa o povo recorre a Nossa Senhora, pedindo saúde, consolo e graças espirituais.
Inúmeras graças atribuem-se a ele: doentes foram curados, pessoas desesperadas encontraram paz e consolação etc. Todos os que recorriam à Mãe de Deus com confiança e amor, eram atendidos em suas necessidades.

Peregrinações das mais longínquas localidades do país e mesmo do estrangeiro chegavam ao Monte Claro em busca de socorro material e espiritual. Confortados pela ajuda recebida, expressavam a sua gratidão, oferecendo ao Santuário donativos em ouro, prata, pedras preciosas e dinheiro. Também a rainha da Polônia, Santa Edviges, com seu esposo, o rei Ladislau Jagiello e os dignitários da corte, faziam ricas doações a Nossa Senhora.
Ornada com tantas jóias de alto valor, o quadro milagroso tornou-se objeto de cobiça por parte dos ateus, dos infiéis e dos assaltantes, numerosos naquela época.

Na madrugada do dia da Páscoa, do ano de 1430, o Santuário de Nossa Senhora, onde apenas os frades e alguns peregrinos se encontravam, foi repentinamente invadido por bandidos. Arrancaram do altar o quadro, jóias, cálices e tudo de grande valor, jogaram tudo numa carroça, pondo-se em fuga.
Por descuido o quadro caiu da carroça e quiseram o recolocar, mas não o conseguiram. Do castelo mais próximo, vieram soldados armados e puseram-se imediatamente atrás dos bandidos.
Os bandidos percebendo o que acontecera e não conseguindo recolocar o quadro no veículo, o chefe dos bandidos, na iminência de ser apanhado, encolerizou-se, golpeou-o diversas vezes com a espada e fugiu apressado. Ao chegar no local, soldados, peregrinos e frades, encontraram o quadro partido em três pedaços e o rosto de Nossa Senhora dolorosamente ferido.

Ajoelhando-se, pediram ajuda de Deus. Depois pediram ao rei da Polônia Ladislau Jagiello que tomasse providências necessárias para restauração do quadro. Famosos pintores foram até lá para restaurar, mas nenhum deles conseguiu restaurar a pintura do quadro.
Quando todos desistiram, um jovem que havia auxiliado o primeiro pintor veio até o rei e declarou com toda simplicidade:

"A Mãe de Deus não quer que sejam apagadas essas cicatrizes".

Dito isto, pediu que lhe desse licença para concluir a restauração do quadro, e o rei embora contrariado, não tendo outro recurso cedeu ao seu pedido.
Antes de pintar o jovem rezou a noite inteira. Concluído o trabalho, entregou ao rei Ladislau o quadro completamente restaurado, com todos os cortes cobertos, exceto os três ferimentos no rosto de Nossa Senhora. O jovem pintor havia desaparecido e nunca mais foi visto.
O quadro voltou ao seu trono, ornado novamente de ouro, prata e pedra preciosas, doadas pelos reis e pelo povo. A Mãe de Deus continuou, desde então, operando milagres e atendendo a todos os que a Ela recorriam com confiança e fé.
Em 1655, os Suecos invadiram a Polônia e atacaram também o Convento e o Santuário de Czestochowa, a fim de se apoderarem das riquezas do país. No Convento havia apenas frades e 50 famílias e alguns soldados. Durante 40 dias, os suecos atacavam com mais de 15 mil homens, canhões etc..., lançando bombas incendiárias sobre o Santuário.

Os frades e os outros sitiados defendiam-se heroicamente, confiando na proteção de Nossa Senhora e chegavam afazer procissão com o Santíssimo em volta do Santuário, cantando e rezando no meio dos ataques do inimigo.
Os suecos reconhecendo que lutavam contra forças sobrenaturais resolveram se afastar na noite de Natal e pouco tempo depois, foram expulsos também do país.
No ano seguinte de 1656, Nossa Senhora de Czestochowa foi declarada, oficialmente, pelo Papa, RAINHA DA POLÔNIA.


Milagres Ocorridos no Século XX.



Muitas são as graças atribuídas à Nossa Senhora do Monte Claro no século XX.
No final da II Grande Guerra, Adolf Hitler reconhecia que a investida contra a Polônia havia fracassado devido, segundo suas próprias palavras, "à Negra de Czestochowa".

No dia 26 de Agosto de 1956, um milhão de poloneses, unidos num só coração, renovou o Voto da Nação, repetindo as palavra do Cardeal Stefan Wyszynski ausente (preso pelo regime comunista), e renovando as promessas de fidelidade à sua Rainha, a Deus, à Cruz, ao Evangelho, à Igreja e seus Pastores.

Por essas promessas eles se comprometiam a defender a vida desde a sua concepção e a mútua fidelidade no matrimônio. Prometiam, também, lutar contra seu vicio e praticar a lei do amor, respeitando a dignidade humana.
Cada ano, no dia 3 de maio, esses Votos São renovados em cada paróquia e, no dia 26 de agosto, no Santuário de Monte Claro em Czestochowa, aos pés de Maria, Rainha da Polônia.


Qual o motivo da cor “negra”?



Ao longo dos séculos, muitos foram os testemunhos de curas e outros fenômenos milagrosos ocorridos com fiéis que peregrinaram à pintura. Ela é conhecida como "A Senhora Negra" por causa da fuligem acumulada sobre a sua superfície, fruto de séculos de velas votivas queimadas junto a ela. Com o declínio do comunismo na Polônia, as peregrinações à Senhora Negra aumentaram notavelmente.

 
 Um Papa Polonês em Roma.

 No dia 16 de outubro de 1978, os sinos de todas as igrejas da Polônia tocavam festivamente, anunciando que um filho da Polônia martirizada, mas sempre fiel, Karol Wojtyla, Cardeal, fora eleito Papacomo 266 Sucessor de São Pedro, com o nome de João Paulo II.

João Paulo II, antigo Arcebispo de Cracóvia, no dia seguinte à sua eleição, escreveu ao Primaz da Polônia uma carta, e terminou dizendo:
"Não haveria na sede de São Pedro um papa polonês, se não houvesse Monte Claro e o maravilhoso Primaz com sua fé heróica e inabalável confiança em Maria, Mãe da Igreja".

No seu brasão papal, colocou uma grande cruz, a letra M e as palavras: TOTUS TUUS, que significa: Todo Teu - Todo de Maria.

Monte Claro, depois de tantas provas e sacrifícios, o viu chegar radioso, cheio de esperança e fé no futuro, que culminou com a visita do Santo Padre à Polônia, de 2 a 10 de junho de 1979.

Como fiel servo de Maria, chegou dia 3 de junho a Monte Claro e permanecendo ali por 3 dias. Em sua peregrinação ao Brasil, de 30 de junho a 12 de julho de 1980, o Santo Padre ofereceu à imigração polonesa, um quadro de Nossa Sra. de Czestochowa.

Os imigrantes poloneses, ao deixarem sua Pátria, levavam sempre consigo esse grande tesouro: o quadro de Nossa Sra. do Monte Claro e a grande devoção à Maria Santíssima.
Chega o ano de 1982. Polônia prepara-se para comemorar os 600 anos do reinado maternal de Maria em Czestochowa. João Paulo II alimenta o grande desejo de ir agradecer, pessoalmente a Maria, a proteção Materna à sua Pátriamas o governo comunista não deu a permissão, transferindo a peregrinação para o ano de 1983.

Foi com jubiloso "Magnificat" e "Te Deum" que a Nação Polonesa agradeceu os benefícios e as graças de ordem espiritual e material recebidas das mãos maternas de Maria Rainha da Polônia.
Realmente, Maria nunca abandonara o seu reino, quer nas guerras, quer nas ocupações inimigas, nas perseguições comunistas, quer em tempo de paz e em todas as circunstâncias.

Finalmente Polônia ficou livre do regime comunista, graças à proteção de Nossa Senhora do Monte Claro. Inúmeras são as graças de curas e conversão de pecadores, ao entrarem no Santuário da Virgem de Czestochowa. Maria espera a todos e ajuda aqueles que a reconhecem como Mãe de Deus e seguem os passos do seu Filho Jesus Cristo.


O dia 26 de agosto é dedicado à Nossa Senhora de Czestochowa.

 
Nossa Senhora de Czestochowa, rogai por nós.


Cronograma de Formação para a Total Consagração a Jesus por Maria

Nossa Senhora  dos Anjos, rogai por nós.
Nossa Senhora Desatadora dos Nós, rogai por nós.
Nossa Senhora Rainha, rogai por nós. 
Nossa Senhora de Czestochowa, rogai por nós. 


O cronograma deve ser seguido para uma formação decente e clara. Você deverá ler o Tratado e ler os textos da apostila nas seguintes datas: 

29 de maio Pequena Introdução à Escatologia (pg. 11 do e-book Eis os Escravos do Senhor)
30 de maio - A Grande Batalha (pg. 35 - 44 do e-book)
05 de junho Cap 1 do Tratado + pg 45- 58 do e-book
06 de junho Cap 2 do Tratado  + pg 59 - 62 do e-book
12 de junho - Cap 3 do Tratado + pg 63 -65 do e-book
13 de junhoCap 4 do Tratado + pg 66-69 do e-book
19 de junho Cap 5 do Tratado + pg 70 - 72 do e-book
20 de junho -  Cap 6 do Tratado + pg 73 - 75 do e-book
26 de junho Cap 7 do Tratado + pg 75-76 do e-book
27 de junhoCap 8 do Tratado + pg 77-80 do e-book

- O tempo restante deverá ser usado para o esclarecimento de dúvidas, após ver toda a formação, pelo e-mail ftanapaulabarros@hotmail.com. 

Exercícios Espirituais Preparatórios para a Total Consagração a Jesus por Maria 


Para Nossa Senhora dos Anjos: 02 de julho à 02 de agosto 
Para Nossa Senhora Desatadora dos Nós: 15 de julho à 15 de agosto
Para Nossa Senhora Rainha: 22 de julho à 22 de agosto
Para Nossa Senhora de Czestochowa: 26 de julho à 26 de agosto





As orações obrigatórias para cada uma das semanas dos 30 dias de Exercícios Espirituais são:


12 dias preliminares (pedindo o desapego do mundo) – Ver Tratado n. 227 Orações Diárias (“Veni, Creator Spiritus” e “Ave Maris Stela”)


1ª semana (6 dias pedindo o conhecimento de si mesmo) – ver Tratado n. 228 – Orações Diárias (“Ave Maris Stella”, "Ladainha do Espírito Santo” e “Ladainha de Nossa Senhora")


2ª semana (6 dias pedindo conhecimento de nossa Mãe Santíssima) – ver Tratado n. 229 – Orações Diárias (“Ave Maris Stella”, "Ladainha do Espírito Santo" e "Santo Terço")


3ª semana (6 dias pedindo conhecimento de Nosso Senhor Jesus Cristo) – ver Tratado n. 230 - Orações Diárias ("Ladainha do Espírito Santo", "Ave Maris Stella", "Oração de Santo Agostinho", "Ladainha do Ssmo. Nome de Jesus" e "Ladainha do Sagrado Coração de Jesus")




Consagração

02 de Agosto
Nossa Senhora dos Anjos


15 de Agosto

Nossa Senhora Desatadora dos Nós



22 de Agosto

Nossa Senhora Rainha




26 de Agosto

Nossa Senhora de Czestochowa




Me deixe saber que você se consagrou, envie para 
  ftanapaulabarros@hotmail.com


Dúvidas mais frequentes encontre as respostas aqui




You May Also Like

3 comentários

  1. Oi! Começo a minha preparação amanhã, escolhi o título de Nossa Senhora Desatadora de Nós, que é o meu título de devoção. Reze por mim! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paz e Bem! Esta em minhas orações! A Santíssima Virgem está lhe acompanhando!

      Excluir
  2. Obrigada pelo seu preciosíssimo trabalho, que a Santíssima Virgem esteja sempre conosco.

    ResponderExcluir

Olá, Paz e Bem! Que bom tê-lo por aqui! Agradeço por deixar sua partilha.