CONFUSÕES NO ENTENDIMENTO DA VIRTUDE DA MODÉSTIA

by - março 21, 2018


vivendo a virtude da modéstia



Salve Maria Puríssima,

Dentre os assuntos que mais falamos neste apostolado, a virtude da Modéstia tem um certo destaque. Não foi intencional, nem o objetivo primeiro deste apostolado, simplesmente fui levada à ele, talvez pela beleza, talvez pela urgência... No entanto, o que mais me impressiona é a dificuldade que existe no entendimento dessa virtude. 

A virtude é a esforço na prática do bem. Qualquer virtude, portanto, é algo que se pratica, não precisamos realmente de um entendimento profundo dela, no entanto, é justamente por uma falha no entendimento que muitas vivem mal, não vivem ou deturpam a virtude.

A modéstia é uma virtude que se refere a vestimenta, portanto, ela é em si exterior. Não existe, dessa forma, essa frase muito comum atualmente "eu vivo a modéstia internamente", as virtudes são em si externas, algo que se vive e a virtude da modéstia, muito mais. Por exemplo: você não pode dizer que vive a virtude da paciência internamente, você mostra atitudes externas de paciência, o mesmo para com a bondade. A virtude é uma prática.

Dito isso, a primeira falha de entendimento é: confunde-se modéstia com pudor ou ainda com temperança. Todos as virtudes são da mesma família, no entanto, a virtude da temperança refere-se a uma capacidade de ordenar os pensamentos e as emoções, gerando assim atitudes ponderadas. Esse filtro entre os nossos pensamentos e sentimentos e como nos expressamos chama-se, por sua, vez pudor. Todas portanto, visam uma ordem interior para então gerar um comportamento exterior ponderado e moderado. Nesse ponto encontramos a virtude da modéstia, esta por sua vez, como já supracitado, refere-se a vestimenta. O Catecismo diz que o Pudor é Modéstia, logo também não é possível dizer que se pondera o comportamento e as expressões mas não se sente chamada a moderar a vestimenta. Uma coisa não existe sem a outra.

Acredito que toda essa confusão de entendimento vem do fato de que muitas ainda acreditam que a modéstia deve-se a atitude de ser humilde, o que leva por sua vez a outra confusão, a segunda, que é a idéia de achar que quem vive a modéstia deve desaparecer e para que isso ocorra muitas passam a usar, digamos assim, como que um véu da feiura.

Basta que se diga, nesse ponto, que a prática da virtude da modéstia pode ter algumas nuances de diferença entre uma mulher e outra. Primeiro, devido ao estado: exitem as casadas, as solteiras que querem se casar, as celibatárias que não desejam casar-se. Todas devem viver a modéstia, no entanto não viverão de forma igual, pois vivem em estados diferentes. 

Por exemplo: uma mulher casada pode e deve se adornar, com modéstia e atenção, pois ela será espelho de modéstia para os filhos e as filhas, o filho a tomará como modelo para escolher a sua própria esposa e a filha como modelo para si própria. Ou ainda, uma moça que deseja casar-se, ela deve se adornar modestamente, sem exageros, para que um moço possa ver nela sua futura esposa e por fim uma celibatária deve se adornar menos, simplesmente porque não têm intenção de casar-se, portanto, não faz nenhum sentido o adorno.

Dessa forma, existe uma diferença na vivência, mas em nenhum dos estados as moças têm o direito a fazer apologia ao desleixo e a feiura. Sobre o desleixo deve-se ao fato de ser uma atitude contrária a Tradição da Igreja que sempre orientou, mesmo na pobreza, o zelo; por sua vez, a feiura é contrária à natureza das coisas que vêm de Deus. Um dos atributos de Deus é a Beleza, juntamente com a Sabedoria e a Bondade. 

Logo, não é possível viver a modéstia sem se atentar a ser um sinal de zelo e beleza. A modéstia simplicidade, discrição mas também é elegância, beleza e zelo.

Portanto, cabe a cada uma observar constantemente seu testemunho diante dos irmãos e familiares. Talvez sejamos, cada uma na sua realidade, o único sinal de modéstia que algumas pessoas verão. Dada um responsabilidade tão grande, cabe um cuidado adequado. 

Também devemos constantemente nos atentar a nossa percepção da virtude da modéstia. Isso é preciso devido a nossa formação humana, espiritual e intelectual deficiente. Essa defasagem da formação gerou uma onda de mentes sectárias, principalmente no Brasil. As mentes sectárias possuem dificuldade de entender as diferenças entres os estados supracitados e também a diferença entre algo solicitado por Deus a uma pessoa em especifico. 

Por exemplo: existem algumas moças que devido ao estado ou devido a um pedido de Deus em relação a sua história, passam a não usar algumas coisas, adornos ou maquiagem, por exemplo. Mas isso não é uma recusa por ser imodesto e sim por ser uma resposta à Deus de algo que ela precisa viver devido a alguma coisa na sua história ou estado de vida, por exemplo. Portanto, existem processos de cuidados de Deus que são realizados de forma individual.

Uma mente sectária, bem comum infelizmente, generaliza aquela vivência para todos e muitas colocam aquela vivência particular como norma na prática da virtude. O que dificulta a vivência da virtude, entendimento e acolhimento dessa virtude pelas outras moças ou pela própria pessoa que possuí esse tipo de mentalidade. 

No entanto, a única norma existente é em relação a vestir-se com modéstia. Para isso você encontrará orientações dos santos sobre as regiões que devem ser protegidas, elas são: tronco, pelve e glúteos, ao menos parte do braço e toda região de coxas. Essas áreas são chamadas áreas imodestas, pois seria imodesto mostrá-las sem que isso te exponha e ainda pode excitar os olhares, tanto dos homens como também de algumas mulheres com tendências homoafetivas. 

Quando se têm esse cuidado, basta que gradativamente o senso de beleza seja despertado, para que o testemunho esteja à contento. Para isso, é aconselhável que se veja muitas imagens da Ss. Virgem em diversas aparições e se deixe preencher pela beleza e diferenças dessas belezas a cada aparição. Cada uma delas é um exemplo de como viver a modéstia de formas diferentes.

Olhai como vesti a Mãe do Senhor:




Acredito que a Aparição de Nossa Senhora na China, somada a de Nossa das Graças (mesmo que muitas imagens não mostrem Ela estava com a mão cheia de anéis, apareceu como Rainha), são as aparições em que a Santa Virgem aparece com mais adornos. Portanto, basta que você treine o olhar e veja como os adornos são, o tamanho, a delicadeza, a quantidade. Ela apareceu vestida de Imperatriz. Modesta, adornada e bela. 



Em Fátima, temos um outro exemplo, um outro modelo, Ela está mais simples e ainda mais delicada, com um Santo Terço nas mãos e um cardão de ouro no pescoço e só. Bela.

Portanto, basta encontrar algumas das aparições e seguir o "estilo de Nossa Senhora" em alguma delas. 

Quando somos chamadas a nos despojar de algo à mais na vivência da modéstia, isso nunca nos deixa feias, se deixa é porque estamos vivendo de forma errada. 

Vale lembrar que primeiro é preciso apurar a nosso gosto para que fique mais semelhante ao de Deus e por fim viver essa realidade.

A beleza é bela sem que nessecite de explicação. Assim, mesmo despojada uma moça será bela pois Deus sempre reveste suas filhas de beleza. No entanto, muitas não estão fazendo o despojamento como Deus quer, de forma equilibrada e acabam se revestindo a si mesmas de feiura e dando um testemunho ruim.

A modéstia é bela sem explicação. Isso quer dizer que mesmo que as pessoas não entendam, não concordem, elas olham para você e dizem "bonito". Pronto, aí você começou a ser sinal da graça de Deus. 

Paz e Bem!
Ana

"Enchi-me de zelo pela minha Mãe Imaculada e Ela me livrou de todas as tribulações"






You May Also Like

1 comentários

Olá, Paz e Bem! Que bom tê-lo por aqui! Agradeço por deixar sua partilha.

FOLLOW ME @INSTAGRAM