CRONOGRAMA PARA TOTAL CONSAGRAÇÃO DE CRIANÇAS EM 25 DE MARÇO

by - dezembro 31, 2017




Este cronograma tem a intenção de incentivar, pais, padres, catequistas ou responsáveis a consagrarem suas crianças. Sabemos que estamos em uma época difícil e que o caminho mais seguro é entregar adultos e crianças nas mãos de Deus e qual melhor forma de educá-las, amá-las, protegê-las do mal do que entregar cada crianças nas mãos da Santa Virgem, aquela que cuidou do Filho de Deus feito homem. Haveria ajuda mais útil, mais amável? Haveria escudo protetor mais forte?

No entanto, muitos devem estar a se questionar, lembrando-se que entregam suas crianças a Santa Virgem no Batismo, no entanto, é importante notar o caráter diferente dessa Total Consagração para a consagração feita no batismo, pois esta visa proteção e a primeira visa proteção mais sobretudo  visa uma entrega total, a criança depois de uma formação dá a sua resposta ao imenso amor de Deus entregando tudo o que é e será ao Bom Deus.

Dessa forma é necessário que a criança tenha no minimo 7 anos, a idade da razão, para que tenha consciência do que esta a fazer, realize as formações que serão apontadas a seguir, com a ajuda dos pais, catequistas, do padre ou responsáveis, existem também grupos de auxilio para formadores de crianças na internet, o que pode ser de bom uso para orientar aqueles que estão a orientar as crianças.

As formações possuem fundo catequético: do que é santidade, pecado original, morte, juízo, inferno e paraíso, vida dos santos, aparições da Santa Virgem às crianças e por fim o conteúdo do Tratado da Verdadeira Devoção de São Luís de Montfort e os temas de reflexão para os 30 dias de exercícios espirituais, juntamente com as orações que devem ser feitas. 

Vale lembrar que a criança deve frequentar a Santa Missa todos os domingos e ter uma vida de oração em casa diária com os pais. A Total Consagração é caminho de santidade e uma grande graça para as famílias que consagram suas crianças nesse Ano Mariano.

Para a consagração no dia 25 DE MARÇO a criança deverá seguir o seguinte caminho:

Basicamente deve-se ler com a criança ou acompanhá-la na leitura dos textos disponíveis aqui, cada capítulo possuí uma meditação e também imagens piedosas para que o desenvolvimento seja adequado. 

Os responsáveis pela formação notarão que as formações se tornam frequentes, como que em pequenas doses para que a assimilação seja adequada e os temas não sejam cansativos para a criança, portanto, é importante que se a formação proceder dos catequistas estes devem se unir aos pais, mas o que é o mais indicado é que parta dos pais com apoio do padre e do catequista. 

Também é importante notar que os pais possuirão atividades para fixação do conteúdo em cada capítulo, o que não impede de acrescentar outras atividades, como a escrita para crianças maiores, um diário espiritual, uma rotina de colocar flores para Nossa Senhora e cantar músicas marianas tradicionais que em si são catequéticas aproveitando todas as oportunidades para incutir sementes de piedade nas crianças.

A Festa mais importante para um consagrado: 
Encarnação do Verbo

A Carta aos Hebreus fala desse mistério: “Por isso, ao entrar no mundo, Ele afirmou: Não quiseste sacrifício e oferenda. Tu, porém, formaste-me um corpo. Holocaustos e sacrifícios pelo pecado não foram de teu agrado. Por isso eu digo: Eis-me aqui… para fazer a tua vontade” (Hb 10,5-7; Sl 40,7-9).

A Igreja reza na Liturgia: “No momento em que Vosso Filho assume nossa fraqueza, a natureza humana recebe uma incomparável dignidade: ao tornar-se ele um de nós, nós nos tornamos eternos.” (Prefácio da Or. Eucarística do Natal III). “Quando Cristo se manifestou em nossa carne mortal, vós nos recriastes na luz eterna de sua divindade” (Pref. Or. Euc. da Epifania).

São Gregório de Nissa (+394):

”Doente, a nossa natureza precisava ser curada; decaída, ser reerguida; morta, ser ressuscitada. Havíamos perdido a posse do bem, era preciso no-la restituir. Enclausurados nas trevas, era preciso trazer-nos à luz; cativos, esperávamos um salvador; prisioneiros, um socorro; escravos, um libertador. Essas razões eram sem importância? Não eram tais que comoveriam a Deus ao ponto de fazê-lo descer até à nossa natureza humana para visitá-la, uma vez que a humanidade se encontrava em um estado tão miserável e tão infeliz?” (Or. Catech. 15).

Santo Ireneu (140-202):

”Pois esta é a razão pela qual o Verbo se fez homem, e o Filho de Deus, filho do homem: é para que o homem, entrando em comunhão com o Verbo e recebendo assim a filiação divina, se torne filho de Deus”. (Adv. Haer. 3,19,1) ”Quando Ele se encarnou e se fez homem, recapitulou em si mesmo a longa história dos homens e, em resumo, nos proporcionou a salvação, de sorte que aquilo que havíamos perdido em Adão, isto é, sermos à imagem e à semelhança de Deus, o recuperemos em Cristo Jesus (…). É aliás, por isso que Cristo passou por todas as idades da vida, restituindo com isto a todos os homens a comunhão com Deus”(Adv. Haer. 3,18,1.7 – 2,22,4)

Nossa Senhora a Santa Brígida sobre o dia da Encarnação do Verbo:

“Sou a Rainha do Céu, a Mãe de Deus. Eu te disse que devias levar um broche sobre teu peito. Agora te mostrarei com mais detalhes como, desde o principio, quando eu primeiro ouvi e entendi que Deus existia, sempre e com temor estive zelosa sobre minha salvação na observância de seus mandamentos. Quando aprendi mais plenamente que o mesmo Deus era meu Criador e o Juiz de todas minhas ações, cheguei a amá-Lo profundamente e estive constantemente alerta e atenta para não ofendê-Lo por palavra ou por obra. Quando soube que Ele havia dado sua Lei e mandamentos a seu povo e fez milagres através deles, fiz a firme resolução em minha alma de não amar nada mais a não ser Ele, e as coisas mundanas se tornaram muito amargas para mim. Então, sabendo que o mesmo Deus redimiria o mundo e nasceria de uma Virgem, eu estava tão movida de amor por Ele que não pensava em nada mais a não ser em Deus, nem queria nada fora Dele. 

Separei-me, no possível, da conversação e presença de parentes e amigos, e dei aos necessitados tudo o que havia chegado a ter, ficando somente com um moderado vestuário e alimentação. Nada me agradava a não ser Deus. Sempre esperei em meu coração viver até o momento de seu nascimento, e talvez, aspirar a ser uma indigna servidora da Mãe de Deus. Também fiz em meu coração o voto de preservar minha virgindade, se isso fosse aceitável a Ele, e de não possuir nada no mundo. Mas se Deus quisesse outra coisa, meu desejo era que se cumprisse em mim seu desejo e não o meu, porque acreditei que Ele era capaz de tudo e que Ele só queria o melhor para mim. Por Ele, submeti-lhe toda a minha vontade. 

Quando chegou o tempo estabelecido para a apresentação das virgens no templo do Senhor, estive presente com elas graças à religiosa obediência de meus pais. Pensei comigo, que nada era impossível para Deus e que, como Ele sabia que eu não desejava nem queria mais que a Ele, Ele poderia preservar minha virgindade, se isto lhe agradasse, e se não, que se fizesse sua vontade. Depois de ter escutado todos os mandamentos no templo, voltei a casa ainda ardendo mais que nunca por Deus, sendo inflamada com novos fogos e desejos de amor a cada dia. Por isso, me separei ainda mais de tudo e estive só noite e dia, com grande temor de que minha boca falasse e meus ouvidos ouvissem algo contra Deus, ou de que meus olhos olhassem algo em que me deleitasse; em meu silencio senti também temor e ansiedade por estar calando sobre algo que deveria falar. 

Com essas perturbações em meu coração, e a sós comigo mesma, encomendei todas as minhas esperanças a Deus. Naquele momento veio ao meu pensamento considerar o grande poder de Deus; como os anjos e todas as criaturas o servem; e como sua glória é indescritível e eterna. 

Enquanto me perguntava tudo isso, tive três visões maravilhosas: Vi uma estrela, mas não como as que brilham no Céu. Vi uma luz, mas não como a que ilumina o mundo. Percebi um aroma, mas não de ervas nem de nada disso, mas indescritivelmente suave, que me plenificou tanto que senti como se saltasse de gozo. Nesse momento, ouvi uma voz, mas não de fala humana. Tive muito medo quando a ouvi e me perguntei se seria uma ilusão. Então, apareceu diante de mim um anjo de Deus de uma belíssima forma humana, mas não revestida de carne, e me disse: “Ave, cheia de graça...”

Cronograma de Formação

13 de jan - Introdução e Capítulo 1 – Deus nos criou para sermos felizes, mas o pecado nos impede de ir para o Céu

15 de jan - Capítulo 2 - Deus enviou o seu Filho ao mundo para nos salvar e nos deu Maria como Mãe para nos ajudar a ir para o Céu

16 de jan - Capítulo 3 – Somente no Céu seremos totalmente felizes

18 de jan - Capítulo 4 – Maria Santíssima vem do Céu para visitar seus filhos

20 de jan - Nossa Senhora de Fátima

21 de jan Nossa Senhora de Lourdes

22 de jan - Nossa Senhora de La Salette

24 de janCapítulo 5 – Como Maria ajuda a formar santos

26 de jan - Santa Maria Goretti

27 de jan - São Domingos Sávio

29 de janLaura Vicunha

30 de jan Santa Gemma Galgani
01 de fev -São Geraldo Magela
03 de fev Anna de Guigné
04 de fev A infância de São Luís Maria de Monfort

Capítulo 6 – A Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem 

06 de fev  - I. Os Fundamentos da Devoção a Nossa Senhora

08 de fev - II. Importantes verdades da Verdadeira Devoção

10 de fev - III. As falsas devoções e a Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem

11 de fev - IV. Verdadeira Devoção a Nossa Senhora

13 de fev - V. O que é a Total Consagração à Jesus por Maria ou Santa Escravidão de Amor

15 de fev - VI. O tesouro espiritual é o conjunto dos méritos de todas as boas obras que nós realizamos

17 de fev - VII. Motivos que nos devem fazer abraçar esta consagração

19 de fev - VIII. Os efeitos da Total Consagração
20 de fev - IX. Quais são as práticas desta consagração?

21 de fev - X. Quem é que pode ou não fazer esta consagração?

Sugiro que neste intervalo os pais ou responsáveis façam pequenas revisões dos temas tratados.

Exercícios Espirituais Preparatórios
23 de fevereiro à 25 de março

À partir do dia 23 de fevereiro os responsáveis seguem os dias de exercícios sequencialmente até o dia 25 de Março, realizando a meditação e orações orientadas. 

12 Dias Preliminares

1º Dia: Deus nos chama à santidade

2º Dia: O diabo quer nos atrapalhar a chegar ao Céu

3º Dia: Vencer os maus desejos e comportamentos ruins

4º Dia: Vencendo o mundo

5º Dia: As ideias e ensinamentos do mundo

6º Dia: As ideias e ensinamentos de Cristo

7º Dia: O pecado leva à tristeza e a santidade à alegria

8º Dia: Meditando sobre a morte

9º Dia: Um dia seremos julgamentos por Deus

10º Meditando sobre o Inferno

11º Temos que ir para o Céu

12º Os votos que fizemos em nosso Batismo

Primeira Semana

13º O pecado na vida espiritual

14º Os vícios ou maus hábitos

15º As consequências dos vícios em nossa vida

16º Sem Deus, nós não somos nada

17º Temos dificuldade para fazermos o bem e permanecermos na graça

18º A Santíssima Virgem, os anjos e os santos nos ajudam em nossa vida espiritual

Segunda Semana

19º Oh! Como é Bela e Grandiosa nossa Mãe do Céu

20º Maria e a Santíssima Trindade

21º As glórias de Maria

22º Maria é a nossa Mãe na ordem da graça

23º Maria pode fazer mais pelos filhos que a Ela se consagram

24º Quanto mais nos entregamos a Maria, mais nos unimos a Jesus

Terceira Semana

25º Jesus, a segunda pessoa da Santíssima Trindade

26º Jesus, o Nosso Salvador

27º Jesus, nosso melhor amigo

28º Jesus, alegria do nosso coração

29º A Bondade e a Misericórdia de Jesus

30º Jesus no colo de Maria


Consagração
25 de Março

Dúvidas mais frequentes


Preciso receber um sinal sobre qual título Nossa Senhora deseja que me consagre?
Nossa Senhora é a mesma, seja qual título esteja sendo celebrado naquela data mariana, esta consagração é uma entrega Total a Virgem Maria, escolhemos uma data mariana para melhor honrá-la entregando tudo a Ela naquele dia que a Igreja lhe dedica honra.
Portanto, não é preciso aguardar um sinal, tendo a Igreja manifestado os dias de festividade marianas e a mesma ensinando que todas honram a Virgem Mãe de Deus. 


Preciso de um padre no dia da consagração?
Não, esta consagração é uma consagração pessoal, bastando a recitação da fórmula da consagração (que esta no fim do Tratado) diante de uma imagem da Santa Virgem após ter confessado e comungado, ou seja, estando em estado de graça.
No entanto, é muito bom para a propagação da consagração que se faça a mesma recitação após a comunhão, como ação de graças, durante o rito da Santa Missa, com a presença do padre, se ele assim permitir.


Como devo me vestir no dia da consagração?
Com modéstia, não somente no dia da consagração mas em todos os dias, mesmo não sendo consagrado, pois é uma virtude cristã. Portanto, as moças, meninas e mulheres devem se atentar a se parecer ao máximo com a Santa Virgem, preferindo o uso de saias e véu (o último não é obrigatório), sem decotes, transparências, roupas justas. Os homens, meninos e rapazes de forma honrada e modesta. Basicamente, devem se vestir com simplicidade, no entanto, com modéstia e pudor que um filho e filha de Deus devem se portar. 


A Espiritualidade do consagrado é diferente?
Resposta aqui.


Não posso mais rezar pelas pessoas?
Resposta aqui.


Não posso mais rezar diretamente a Jesus?
Resposta aqui.

O que eu entrego afinal para a Santa Virgem?
Resposta aqui.

Caso tenha outras dúvidas pode encontrar respostas aqui.

Se não encontrar respostas poderá me enviar sua pergunta nos comentários, por e-mail ou em nossa página no facebook aqui.

Não deixe de se consagrar!

Se quiser saber sobre a minha experiência com a Consagração clique aqui e aqui.

Paz e Bem!

You May Also Like

0 comentários

Olá, Paz e Bem! Que bom tê-lo por aqui! Agradeço por deixar sua partilha.