A MEMÓRIA PODE SALVAR SEU CASAMENTO

by - dezembro 13, 2017

Traduzido do site Catholic Link
Por Ana Paula Barros


Existem duas bases que nunca podem ser separadas: amor e memória. Assim como um verdadeiro discípulo nunca esquece a primeira hora em que o Mestre tocou seu coração: "Quase quatro horas da tarde" (Jn 1:39) - e, como diz o Papa Francisco, um crente é essencialmente "um que lembra "- então o mesmo poderia ser dito em relação ao amor e ao casamento.

O vídeo de hoje, como todos os vídeos que publicamos, é lindo de assistir, mas é ainda mais lindo de compartilhar. Seja nas redes sociais, na sala de aula ou na sua família, inúmeras pessoas necessitam desesperadamente de esperança: esperança de amor, esperança de um "sim" fiel, esperança que o casamento seja possível, esperança que o casamento valha os obstáculos que às vezes parecem terríveis. Eles precisam de alguém para lembrá- los de que não só o amor é possível, mas que somos feitos para o amor .

A memória nos mantém ligados à realidade, à nossa própria realidade. Isso nos permite responder a pergunta: "Quem sou eu" . No entanto, a memória também pode nos enganar, se não sabemos como usá-la ou treiná- la. Se eu estou em um relacionamento de qualquer tipo - incluindo o relacionamento com nós mesmos -, eu tenho a opção de lembrar de certos eventos mais do que outros. Muitas vezes, quando nos achamos pobres apaixonados, é porque somos caprichosos no que lembramos.

Eu acredito no amor (novamente)



É fácil lembrar as falhas, defeitos e ofensas. Além da cicatriz ou marca emocional que eles podem deixar em nós, lembrá-los nos dá uma ótima desculpa para sermos preguiçosos e nos sentirmos justificados. " Bem, ela me olhou assim o outro dia, então ..." Ou "Ele me corrige por fazer isso, mas ele fez isso 20 vezes na semana passada! " E assim por diante e assim por diante.

E se decidimos - porque é uma decisão - lembrar mais do bem, perdoar e esquecer - pelo menos na medida do possível - o ruim. E se essa primeira centelha de amor, se forjada a cada dia com cuidado, poderia realmente se tornar uma chama eterna?

O realismo saudável nos lembra que alguns dias, o amor ao outro requer mais esforço. Talvez o ente querido esteja passando por um tempo difícil: ansiedade, depressão, doença, falta de motivação, etc. As coisas são efetivamente muito difíceis e ele se sente como estivesse dando 100% enquanto os outros não deram nada em troca. Em qualquer nível afetivo, às vezes você pode sentir que está lutando sozinho. Impossível avançar? Não é hora de desistir? Não, porque é aí que a memória entra. A memória é o backup na "nuvem", os reforços que se destacam por esse suporte vital. Maria teve razão quando aprendeu a manter todas as coisas em seu coração (Lc 2, 51).

Além disso, como cristãos, somos instados a nunca esquecer quem somos . Para nós, fomos criados por Deus, que é comunhão de amor, que nos criou na e para a comunhão amorosa. A ruptura, o conflito e o divórcio NÃO são NATURAIS para o homem, antes unidade, comunhão e amor. E não importa o quanto os ensaios diários possam procurar convencer-nos de outra forma, nunca devemos deixar de entrar nos nossos interiores, intensificar o relacionamento com Deus e pedir-lhe para nos lembrar quem somos.

Isso muda tudo. Ao considerar as dificuldades no relacionamento, o ponto de partida é o da comunhão e do amor. Os conflitos não são mais simplesmente problemas, são deformações de uma comunhão mais bonita e mais humana que deve ser reconciliada para alcançar o que fomos feitos para alcançar. A consciência de nosso chamado natural pode afiar a dor da ruptura, mas também nos dá força e visão para renovar o que foi perdido.

"Deus o chama a fazer escolhas definitivas, e ele tem um plano para cada um de vocês: descobrir esse plano e responder à sua vocação é avançar para a realização pessoal. Deus chama cada um de nós a ser santo, a viver sua vida, mas ele tem um caminho particular para cada um de nós. Alguns são chamados a santidade através da vida familiar no sacramento do casamento. Hoje, há aqueles que dizem que o casamento está fora de moda. Está fora de moda? Numa cultura do relativismo e do efêmero, muitos pregam a importância de "curtir" o momento. Eles dizem que não vale a pena fazer um compromisso ao longo da vida, tomar uma decisão definitiva, "para sempre", porque não sabemos o que o futuro trará. Digo-lhe, em vez disso, que sejam revolucionários, peço-lhe que você mude contra a maré; sim, eu estou pedindo que se rebelem contra essa cultura que vê tudo como temporário e que, em última instância, acredita que você é incapaz de responsabilidade, que acredita que você é incapaz de amor verdadeiro. Tenho confiança em você e rezo por você. Tenha a coragem de "nadar contra a maré". E também tenha a coragem de ser feliz." - Papa Francisco

Traduzido do site Catholic Link

ACESSE NOSSO CANAL!




You May Also Like

1 comentários

  1. Lindo vídeo... Fiquei tentando relacionar com meu casamento e fazer memória dos momentos citados no vídeo... Fazer memória É PRECISO!!!! : )

    ResponderExcluir

FOLLOW ME @INSTAGRAM