A DITADURA DA MODA E A VIRTUDE DA MODÉSTIA

by - junho 26, 2017


Olá, paz e bem

Novamente estou aqui para falar sobre a vivência da Virtude da Modéstia, já falamos sobre esse tema de diversas formas e você pode encontrar os materiais abaixo disponíveis nos links.

  • 7 coisas sobre a modéstia| Damas da Rainha (aqui)
  • Modéstia e a Praia (aqui)
  • Modéstia e Ciência (aqui)
  • Gênesis, feminismo e modéstia (aqui)
  • Começando a viver a Virtude da Modéstia (aqui)
  • Modéstia e o "estou me sentindo sem graça" (aqui)

No ultimo texto sobre o tema (aqui), falei dos primeiros passos para viver essa virtude. No entanto, diante das roupas normalmente temos uma crise e não sabemos o que fazer, não é mesmo?

Uma irmã/diretora espiritual uma vez me disse que Nossa Senhora tem a intenção de livrar suas filhas da escravidão da moda. E também que a primeira coisa que Ela nos ensina é a pobreza. 




Hoje num mundo tão consumista, em que ter coisas esta acima de ser e ainda significa que você é "de Deus", falar que a pobreza é nossa primeira lição soa estranho a ouvidos pouco treinados a escutar a verdade. Mas sabemos que o caminho do desprendimento foi trilhado por todos os santos cada um a sua forma e dentro da sua ordem religiosa e estado de vida.

 Mas o que é pobreza?


"Altos são os muros da pobreza"
Santa Clara de Assis

Para nós católicos a pobreza não é algo estranho (aqui aqui e aqui você encontrá um estudo sobre Desapego), ao menos de vista, muitos religiosos tem voto de pobreza e nós como batizados temos também este chamado a não nos apegarmos as coisas do mundo e nem dar a elas uma importância que não possuem. 

“Bem aventurados os pobres, porque deles é o Reino de Deus.” ou “Bem aventurados sois vós, pobres, porque vosso é o Reino de Deus.”

O fato é que somos pobres diante de Deus, precisamos Dele e nada que tenhamos pode mudar isso.

Assim é uma lição muito importante que aprendemos quando temos que escolher, por amor ao irmão, a Deus e a si mesma, as roupas que ficarão e as que irão embora.

Parece besteira, mas muitas de nós possuem uma relação com o guarda roupas e seu conteúdo e é justamente aí que acontece um milagre oculto, mas não menos grandioso.

Mas então, o que eu faço?


Você já viu algumas dicas no texto anterior (aqui). Mas caso tenha tido dificuldades acredito que o relato anterior tenha te explicado que essa sensação de "não ter nada" faz parte do aprendizado e é enriquecedor.

Mas como falo para algumas meninas e moças que estão com problemas mais graves em se desprender:

Primeiro saiba os limites: saias com foro no joelho, blusas com manga e sem decote (aqui e texto aqui).

Segundo: durante o processo que relatei aqui, você deve fazer ao menos uma vez uma triagem completa. Tirar tudo do guarda roupa e separar o que é adequado ao seu objetivo e o que não é. Depois, diante das roupas que não entram no seu objetivo, veja as que podem passar por reparos, que podem ser usadas com peças de proteção, essas você coloca na primeira pilha.

Pronto! Triagem feita! Lembre-se, peças são coisas, você que é a pessoa, quem tem que se adaptar são as suas roupas ao seu objetivo, que no caso é viver uma virtude. 

Eu aconselho a fazer isso quantas vezes forem necessárias, nós não nascemos para sermos escravas da indústria da moda e do consumismo, nosso pensamento não é o do mundo. 

Nós, porém temos o pensamento de Cristo.
1 Corintios 2, 16

Para completar a sua formação, conheça o nosso canal no youtube com formações e áudios, inscreva-se e compartilhe as formações da doutrina da Santa Igreja Católica:










Paz e bem,
Abraços,
Ana Paula Barros












You May Also Like

0 comentários

FOLLOW ME @INSTAGRAM