A EUCARISTIA COMO ARMA NO COMBATE CONTRA OS PECADOS VENIAIS E GRAVES

by - julho 12, 2017


Olá, Paz e Bem. 

Vamos continuar o estudo sobre o nosso Amor, a Eucaristia. Tesouro guardado pela Igreja Católica, tesouro que eu e você recebemos. Hoje falaremos sobre a Remissão da Culpa, Pecados veniais e graves. Baseado em São Tomás de Aquino.

Este artigo faz parte de uma série, com vídeos e textos, sugiro que leia e assista os anteriores para melhor assimilação, já que os termos atuais contam com conhecimentos anteriores. Você pode acessar




Em acréscimo ao vídeo, temos também a explicação sobre os Pecados Graves e o Sexto Mandamento e a Eucarística. 

Pelas outras pessoas:


Pode-se, porém, argumentar que sendo o efeito deste Sacramento a obtenção da graça e da glória e a remissão da culpa, pelo menos da venial, se este Sacramento realmente tivesse efeito em outros além dos que o recebem poderia acontecer que alguém alcançasse a glória, a graça e a remissão das culpas sem ação nem paixão própria, por algum outro ter oferecido ou recebido este Sacramento.


Responde-se a isto dizendo que assim como a Paixão de Cristo é de proveito para todos para a remissão da culpa, e a obtenção da graça e da glória, mas não produz efeito senão naqueles que se unem à Paixão de Cristo pela fé e pela caridade, assim também este sacrifício que é a Eucaristia, memorial da Paixão do Senhor, não produz efeito senão naqueles que se unem a este Sacramento pela fé e pela caridade. De onde que no Cânon da Missa não se ora por aqueles que estão fora da Igreja. Aos que nela estão, porém, o Sacrifício Eucarístico é de proveito maior ou menor de acordo com o modo de sua devoção.


Pecados veniais


Mas, assim como deve-se dizer que o Sacramento da Eucaristia obtém a remissão dos pecados veniais, assim devemos também dizer que os pecados veniais impedem o efeito deste Sacramento. Pois diz São João Damasceno:


"O fogo do seu desejo que há em nós,


acendendo-se mediante


aquele fogo que há no carvão",


isto é, neste Sacramento,


"queimará nossos pecados


e iluminará nossos corações




para que ardamos e nos deifiquemos




pela participação do fogo divino".


Mas o fogo do nosso desejo ou do nosso amor é impedido pelos pecados veniais, que impedem o fervor da caridade. Portanto, os pecados veniais impedem o efeito deste Sacramento.


Quem está em pecado mortal comete sacrilégio ao receber a Eucaristia, porque há duas coisas sacramentais na Eucaristia. A primeira, significada e contida, é o próprio Cristo; a segunda, significada mas não contida, é o Corpo Místico de Cristo, isto é, a sociedade dos santos. Quem quer que, pois, receba este Sacramento, só por isto significa estar unido a Cristo e aos seus membros. Ora, isto se realiza pela fé formada pela caridade, que ninguém pode possuir juntamente com o pecado mortal. E por isto é manifesto que quem quer que receba este Sacramento em pecado mortal comete nele falsidade. Incorre, por este motivo, em sacrilégio, como violador do Sacramento. Peca, por causa disto, mortalmente.




O pecador que recebe o Corpo de Cristo pode ser comparado, quanto à semelhança do crime, a Judas que beijou Cristo, porque ambos ofendem a Cristo sob um sinal de caridade.

Mas sob um aspecto especial os pecados contra o sexto mandamento tornam o homem mais inepto para o recebimento deste Sacramento, na medida em que, a saber, por este pecado o espírito é maximamente submetido à carne, e desta maneira é impedido o fervor do amor que é requerido neste Sacramento (mais sobre aqui, aqui, aqui).

Que ninguém, pois, se aproxime desta Mesa sem reverente devoção e fervente amor, sem verdadeiro arrependimento, ou sem lembrar-se de sua Redenção.

Maravilhoso é este Sacramento em que uma inefável eficácia inflama os afetos com o fogo da caridade. Que revigorante maná é aqui oferecido para o viajante! Ele restaura o vigor dos fracos, a saúde para os doentes, confere o aumento da virtude, faz a graça superabundar, purga os vícios, refresca a alma, renova a vida dos aflitos, vincula uns aos outros todos os fiéis na união da caridade. Este Sacramento da fé também inspira a esperança e aumenta a caridade. É o pilar central da Igreja, a consolação dos que falecem, e o acabamento do Corpo Místico de Cristo. A fé amadurece, e a devoção e a caridade fraterna são aqui saboreadas. Que estupenda provisão para o caminho é esta, que conduz o viajante até à montanha das virtudes! Este é o pão verdadeiro que é comido e não consumido, que dá força sem perdê-la. É a nascente da vida e a fonte da graça. Perdoa o pecado e enfraquece a concupiscência. Os fiéis encontram aqui a sua refeição, e as almas um alimento que ilumina a inteligência, inflama os afetos, purga os defeitos, eleva os desejos. Ó cálice de doçura para as almas devotas, este sublime Sacramento, ó Senhor Jesus, declara para os que crêem Tuas maravilhosas obras.

Summa Theologiae IIIa. Pars Qs. 79-80 - 
- Sermão sobre o Corpo do Senhor -
Paz e bem,
Abraços,
Ame o Amor,
Ana Paula Barros

You May Also Like

1 comentários

  1. Eucaristia presente de Amor! Quanto amor deve ter um padre pela Eucaristia! Rezemos por nossos sacerdotes e pelas vocações sacerdotais, eu me sinto chamado a ser padre, estou em um discernimento, mas percebo que amo muito pouco, e nem sou digno dessa vocação, mas ao mesmo tempo creio na graça e na misericórdia de Deus que tudo pode realizar e realizará. Pelas vocações sacerdotais Ave-Maria... Nossa Senhora mãe da igreja, rogai por nós

    ResponderExcluir

FOLLOW ME @INSTAGRAM