Consagração Total a Jesus por Maria| Totus Tuus Mariae

by - fevereiro 27, 2016


A Consagração Total a Jesus por Maria é uma das maiores graças que já recebi e como diria São Luis Maria Grignon de Morfort a você: "Guarda esse segredo alma predestinada e usa-o bem".



Claro, que já te indico alguns livros para que você possa conhecer e entender o que é a Consagração e a diferença entre outras formas de Consagrações.

Te indico:
Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem
Segredo de Maria
O Segredo da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem
Reflexão do Arcebispo Fulton Sheen - Sete Dores de Maria

Com a leitura desses livros você poderá ter todas as suas dúvidas solucionadas.

Mas para que não haja um motivo para não trilhar esse caminho que leva imitação de Jesus entrando no seio de sua Mãe, vou citar aqui algumas dúvidas e medos que entram e circundam o coração quando se deparam com a Consagração.

Santidade

Algo conhecido sobre a Vontade de Deus é: Ele nos quer santos. Desde sempre Ele não cansa de repetir que essa é a única forma de permanecermos em Sua presença.

Todos são chamados a santidade. Mas devemos lembrar que ser salvo e ser santo não é a mesma coisa. Ser santo é apresentar-se diante de Deus sem mancha.


"Cristo vos reconciliou pela morte que sofreu no seu corpo mortal, para vos apresentar como santos, imaculados, irrepreensíveis diante de si. Mas é necessário que ➡ permaneçais inabaláveis e firmes na fé, sem vos afastardes da esperança que vos dá o evangelho, que ouvistes, que foi anunciado a toda criatura debaixo do céu. "
Cl 1, 22-23.

"Pois deveis levar uma vida digna do Senhor, para lhe serdes agradáveis em tudo. Deveis produzir frutos em toda boa obra e crescer no conhecimento de Deus, animados de muita força, pelo poder de sua glória, de muita paciência e constância. Com alegria dai graças ao Pai, que vos tornou capazes de participar da luz, que é a herança dos ↪santos↩.
Cl 1, 10-12


Ora quem se apresentou diante de Deus sem mancha, foi Jesus e Maria. Inteligente é seguir seus passos. E graças ao Bom Deus que em Sua Bondade e Misericórdia nos deu esse caminho para que sua Justiça fosse realizada.

A servidão pela escravidão.

Escravidão

Poucos são os chamados a entender esse ponto e digo como Jesus " quem puder compreender, compreenda".

Quando Maria recebeu a visita do Anjo Gabriel disse "eis a escrava do Senhor", muitos não gostam muito dessa palavra escrava e então substituem por serva. Mas na verdade ela, disse no sentido de que "minha vontade não importa, seja feita a Sua Vontade".

Ela se entregou totalmente a Jesus e Jesus se entregou a ela também. Vale lembrar que nossa redenção foi alcançada durante os 33 anos da vida de Jesus, não somente pelas 3 horas no madeiro. E desses 33 anos, 30 Ele passou em obediência a sua mãe. Ele o Filho de Deus que "devia cuidar das coisas de seu Pai" passou trinta anos a expiar o pecado de desobediência da humanidade inteira se submetendo a Maria. 

Afinal aos 12 anos Ele já deixava os sábios "embasbacados" então Ele não precisa de tempo para se preparar, gastou o tempo obedecendo.

Obediente até o fim ao Pai, que deu a ordem para que Ele iniciasse Sua vida publica por Maria. em uma única frase "falta vinho" e depois "faça o que Ele vos disser".

Assim fica claro que a escravidão de amor é uma caminho do evangelho e fundamentado na imitação de Cristo, que em tudo obedeceu.

Também devemos lembrar que somos filhos de Deus pelo sacrifício de Jesus, mas que por natureza somos submissos a Deus, nosso Criador. 

Ele que em sua Bondade e Amor nos elevou a um patamar de filhos, mas nós não devemos nos esquecer que isso é fruto da graça que vem Deus, que pagou o preço do nosso resgate do maligno - só se resgata escravos- com Sangue e nos adotou. Portanto somos, naturalmente, escravos adotados como filhos.

Outro ponto é que se trata de uma escravidão que liberta! 

Quando assumimos, espontaneamente, que somos escravos do Senhor, ganhamos toda sorte de graças e serviços que vem dessa entrega total e sem temores nos braços de Deus, o que nos liberta de nós mesmos e das cadeias do maligno (nas quais muitas vezes estávamos presos).

Portanto, Deus faz pouco da inteligencia dos sábios e transforma uma situação que para muitos é sinal de horror em libertação, como fez com a Cruz de Cristo.

Humildade

Almas soberbas, gostam muito pouco dessa parte. Mas isso é uma verdade, a Consagração é um caminho de humildade. Nela sabemos onde estamos no Corpo de Cristo, que é a Igreja, estamos no calcanhar. 

Ninguém se lembra do calcanhar, não é? Exatamente! Como Maria passaremos pela Igreja e pela Vontade de Deus será feito em nós grandes coisas, mas também haverão muitos a nos repudiar, a xingar e enxotar.

Afinal assim foi com Jesus e é ainda com Maria, tão xingada por muitos.

Mas no que me detenho? Como diria são Luis Monfort, afinal não é esse o caminho do cristão? Será que o que aqui digo esta contra algo do Evangelho? Claro que não, mas são poucos os que realmente tem consciência dessa parte, afinal a parte das graças e bençãos é mais legal e lucrativa. 

No entanto, queira Deus que entre os que lêem haja alguns que saibam e queiram tudo entregar e doar pelo Reino, que queiram ser de Jesus imitadores totais e tão próximos que o mesmo caminhos trilham.

Doação total

O caminho é a doação total. E aqui temos a maior diferença e graça dessa Consagração, doar tudo é tudo e isso inclui méritos e satisfações.

Para compreendermos com alguma clareza esse ponto é preciso lembrar que nós católicos seguimos o exemplo apostólico  e assim como diz Thiago " a fé sem obras é morta", nós cremos que nossa salvação e santificação é alcançada pelas boas obras, não só pela fé, já que esta é morta sem aquela.

Assim sendo temos um tesouro pessoal que é composto pelo valor de nossas boas obras.

Essas boas obras podem ser executadas para a nossa salvação e cobrir nossos pecados, como também para interceder por alguém.

No entanto, o ideal é que nosso querer esteja em sintonia com o querer de Deus e assim não haja distinção entre as duas vontades. Mas não é fácil chegar a esse estágio de entrega e para tal a Consagração nos ajuda, afinal como saber o que é a Vontade de Deus? O que afinal entre tantas coisas boas é para maior Glória de Deus?

Converter os pecadores, tirar as almas do purgatório, resgatar aqueles que se perderam? E ainda como saber o que é para a maior Glória de Deus em nossa vida?

Então, contamos com a graça de poder entregar tudo, sem restrição nas mãos de Maria para que ela coloque tudo aos pés de Jesus, para que seja empregado na maior glória de Deus.

Mas porque preciso entregar a Maria, não posso eu sozinho colocar aos pés de Jesus?

Sinceramente, poder você pode, agora conseguir fazer isso a todo tempo, eu sinceramente acho difícil. Afinal você esta sempre querendo que Deus quer? A todo o tempo?

E ainda te pergunto, todas as suas orações e obras são puras? Feitas com amor e concentração, unção e graça? Pois, nada abaixo do adequado permanece diante do trono de Deus. E é aí que entra o papel de Maria (que faz a mesma coisa desde as Bodas de Canaá) ela "melhora" nossas orações para que se apresente adequadas a Deus. 

O que é o adequado?

O adequado é sem mancha, que pode ser feita pelos pecados veniais, pelas distrações e por milhares de outras coisinhas. Sabe, aqueles pequenos resquícios de imperfeição? Ela os tira e deixa a oferta adequada aos olhos de Deus.

Mas o que entregamos?




Entrega-se tudo no presente, passado e futuro. 



Infância 

Com a Consagração é nos dada a infância da alma e do coração, tudo dependemos da Mãe e do Pai, nada temos e em todo momento a solução tem um nome Mãe e Pai.

Orações, Purgatório e medos

Acredito que o medo de muitos é não ter suas orações atendidas. Afinal, elas já não mais me pertencem e a muitos que acreditam que nem orações seria mais viável fazer.

Uma interpretação mais errada, não há. Primeiro que as orações são sempre atendidas segundo a Vontade de Deus, assim quer você queira quer não, sendo consagrado ou não, o querer de Deus sempre se faz. Portanto, é muito mais sensato e digno do um filho de Deus e filho de uma Rainha que as orações sejam logo entregues a Vontade de Deus e para que esta se cumpra rapidamente (porque a Vontade de Deus é boa, agradável e perfeita) deverá orar ainda mais e com mais fervor.

Santa Faustina diz que Jesus lhe instruiu que muitas vezes as orações são usadas para outros fins e não para as intenções que foram apresentadas, assim vemos que o querer de Deus se faz e que nenhuma oração é feita em vão, portanto é muito melhor já orar consentindo com isso.

Outra questão é a do purgatório. Afinal, se entregamos nossa satisfações e as orações futuras feitas pelos nosso familiares pela nossa alma, não teríamos que passar um tempo a mais no purgatório?

Se Deus quiser sim, se Ele não quiser não. Entende, a prática da infância? Nada está em nossas mãos.

Mas além disso, pensa comigo:

Normalmente, sem consagração, quais seriam as chances de nos apresentarmos diante de Deus puros com se deve? 

Lembrando, que quem esta no purgatório já esta salvo, afinal o purgatório já esta na Jerusalém Celeste, é um local para limpar as vestes para poder se apresentar irrepreensíveis diante de Deus.

Fazendo esse raciocínio, cheguei a conclusão que passaria pelo purgatório de qualquer forma, no entanto, se eu me entrega-se pela consagração das duas uma:

  •  haveria uma chance de não passar por ele,
  • ou se passasse, teria a certeza de ter ajudado no cumprimento da Vontade de Deus para a humanidade, salvado algumas almas do purgatório, ajudado na conversão de outras... e quem sabe? essas mesmas almas não estariam a interceder por mim a Deus?

"Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida pelos amigos"

Assim, por fim, achei a consagração mais lucrativa, embora, se entregue tudo.


Objetivo

Viver sempre na prática da Consagração não é fácil, manter sua prática também não. Assim não é algo para vanglória ou exibição, deve ser vivida com toda modéstia. Afinal, nada mais é que a prática das promessas do batismo, confirmada por muitos no crisma, mas com uma ajuda na formação por Maria, que com sua pedagogia nos orienta. 

E no caminho existem graus de consagração e por ele devemos nos empenhar a passar:

Primeiro Grau: Simples Consagração
É fazer a consagração em si e manter-se consciente da doação das satisfações e méritos, em espirito de infância.

Segundo Grau: Maria como modelo
Se esforçar para imitá-la em virtudes, comportamento e imolação das dificuldades e transtornos da vida.

Terceiro Grau: Vida de intimidade com Maria
Como continuação do segundo, vai além e se une a Maria de tal forma que não haja distinção das ações de Maria e do escravo. Este grau, me parece, que é fruto de quando duas pessoas convivem por algum tempo e se unem de tal modo, que começam a agir igual, pensar igual e a completar um a frase do outro.

Quarto Grau: Viver perto de Maria
O quarto é quando as práticas do terceiro se torna um hábito natural da pessoa.

Por fim, devo dizer que somos livres escravos de um Rei, que por amor servem a seu Senhor e por esse mesmo amor servem a sua Mãe, e esta não tem outra vontade além de que Seu Filho reine e que todas as almas participem desse Reino.

Atenção: QUEM NÃO PODE SE CONSAGRAR: amasiados, pessoas em namoros imorais, homossexuais que não rejeitaram suas más inclinações,  pessoas com vida sexual desregrada, pessoas que não estão em estado de graça (ou seja estão vivendo vidas que não permitem a comunhão), aqueles que defendem o aborto, o comunismo, as mulheres que fazem uso de anticoncepcionais ou métodos contraceptivos, que frequentam a maçonaria, espiritismo, candomblé ou qualquer outra seita. Ou seja, qualquer pessoa que esteja em pecado mortal.

O que é pecado mortal? O pecado mortal é cometido quando, ao mesmo tempo, há matéria grave, plena consciência e deliberado consentimento. Este pecado destrói a caridade, priva-nos da graça santificante e conduz-nos à morte eterna do inferno, se dele não nos arrependermos.

Graça e Paz!



















You May Also Like

5 comentários

  1. Bom texto, muito instrutivo mesmo.
    Eu estou a pensar consagrar -me no próximo dia 8 de Dezembro. Vou iniciar a preparação segundo s.Luís Maria Montfort "tratado da verdadeira devoção à Virgem Maria. "
    Assaltam me, muitas dúvidas e receios, ao mesmo tempo, mas penso que será normal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      sempre acontece alguns receios, mais a consagração é por fim uma experiencia única. 30 dias muito profundos, se bem feitos. è a melhor decisão que tomei e não conheço ninguém que tenha se arrependido, é a minha alegria. Qualquer dúvida pode entrar em contato, ok? Paz e bem!

      Excluir
  2. Bom texto, muito instrutivo mesmo.
    Eu estou a pensar consagrar -me no próximo dia 8 de Dezembro. Vou iniciar a preparação segundo s.Luís Maria Montfort "tratado da verdadeira devoção à Virgem Maria. "
    Assaltam me, muitas dúvidas e receios, ao mesmo tempo, mas penso que será normal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, me perdoe a demora. É bem comum. Consagrou-se? Paz e bem :)

      Excluir
    2. Olá, me perdoe a demora. É bem comum. Consagrou-se? Paz e bem :)

      Excluir

FOLLOW ME @INSTAGRAM