Damas da Rainha: Fala

by - julho 18, 2015


Após a análise dos pensamentos que fizemos (aqui) e também após o primeiro entendimento sobre o discernimento dos espíritos (aqui).

Hoje vamos aprimorar a questão da fala. E como você deve imaginar nós falamos o que pensamos, portanto esse passo e o passo anterior, devem ser feitos rotineiramente. A qualidade do que você pensa determina a qualidade do que você fala. Assim o que você assiste, lê, se transformam em pensamentos e estes em fala.




Portanto, vamos analisar a fala?

Se você fez a faxina nos seus pensamentos, já vai perceber uma mudança na sua fala e nos assuntos abordados. Mas além disso (que é um ponto muito pessoal), temos a atenção a alguns pontos:

Murmuração e Fofoca: uma dama não reclama infinitamente das coisas, das pessoas. E não podemos esquecer da fofoca. Esse hábito é horroroso, bem deselegante. Independente se o "comentário" procede, nunca se deve falar do erro de alguém em público ou mesmo que seja um erro público não se deve falar, esse ato só é permitido se você ou a pessoa que escuta irá ajudar a edificar e reerguer a pessoa centro do "comentário". Caso contrário é asqueroso.

Sei que parece óbvio, mas é muito frequente encontrar mulheres e meninas fazendo uma ladainha de reclamação no lugar de uma ladainha a Nossa Senhora.

Palavras ociosas: falar sem necessidade é também algo que devemos evitar, claro que não me refiro a ficar sem falar um "a", mas não devemos falar sem que seja necessário. Basicamente devemos falar quando a fala será útil para você ou para o outro, falar sem objetivo é algo que "chama a atenção" negativamente.

A fala é uma forma de expressão, por isso, transmite parte de quem somos. Portanto, devemos nos atentar ao conteúdo, mas também para o tom.

Atualmente, a qualidade do que se fala é péssima e o tom é detestável. As meninas e até mulheres falam "berrando" literalmente. O tom é importante, não é preciso gritar para transparecer alegria ou fortaleça, isso é euforia. Talvez essa seja mais uma sequela sutil e devastadora do feminismo. 

Não há necessidade de "chamar atenção" pelo grito, as mulheres que mais influenciaram a humanidade falaram muito em poucas palavras e em tom agradável. Aliás, toda tendência a ser o centro deve ser evitada, afinal um diamante não precisa gritar seu valor, ele simplesmente é preciso, e ponto. Assim também somos nós. 

Por fim, é preciso dizer que isso é um tema inesgotável no que se refere a dedicação em aperfeiçoar-se, mas que deve ser analisado com frequência. 

Para analisar, peço que com sinceridade responda:

  • Como esta o tom da sua fala?
  • Como esta a qualidade das conversas?
  • Você consegue se fazer compreender ou defender seu ponto de vista sem gritar?
  • Existe alguma palavra que você sempre usa, que gostaria de parar de usar? Quais? (lembrando que podem ser desde palavras deselegantes leves ou pesadas, a gírias feias) 
  • Estabeleça o propósito de não falar mais estas palavras.
  • Pensa, se coloque no lugar de quem te escuta? O que você, no lugar deles, pensaria?
E para complementar:














You May Also Like

0 comentários

FOLLOW ME @INSTAGRAM